Um outro tipo de problema médico empurra Kaká para fora do Mundial

Ausente da convocação para o último amistoso antes da lista final para a Copa do Mundo, Kaká viu suas chances de disputar o torneio se esvaziarem. O meia, que foi chamado apenas uma vez por Luiz Felipe Scolari na atual passagem do técnico pela seleção, não conseguiu convencê-lo de que é útil no time que venceu a Copa das Confederações.

O jogador do Milan sofre com restrições no corpo técnico – além de Scolari, o coordenador Carlos Alberto Parreira e o auxiliar Flavio Murtosa – e no departamento médico da CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Parreira é o único integrante da alta cúpula da seleção que chegou a defender a volta do meia. Segundo ele, Kaká ainda segue no radar, sendo observado.

A maior restrição a Kaká na CBF, porém, não vem de Felipão e de seus conselheiros para definir uma escalação. Alguns funcionários do departamento médico e até jogadores que estiveram na última Copa do Mundo não perdoam algumas declarações do jogador após o torneio. Durante o Mundial, Kaká negou que sentisse dores na região do púbis e minimizou o problema que sofria. Após a eliminação, porém, o meia admitiu que sofria com a pubalgia, que já havia sido detectada no Mundial.

Médico da seleção há mais de 10 anos, José Luiz Runco esteve na Copa de 2010 e é o atual chefe do departamento na CBF. Ele negou problemas com Kaká.

Veja a noticia completa no UOL



Redação do Torcedores.com