Veja o momento dos 5 intocáveis do Felipão

Felipão
Getty Images

O técnico Felipão tem por tradição criar uma ‘família’ nas equipes em que treina. Foi assim no Palmeiras e também na Copa de 2002. Desta vez não será diferente, mais uma vez o técnico esta levando para a Copa jogadores que confia, e claro já montou a coluna dorsal do Brasil. Julio César, Thiago Silva, David Luiz, Neymar e Fred, são os intocáveis do Felipão.

Com uma comissão técnica muito experiente e vencedora, o Brasil estará bem representado no banco, e tanto as decisões técnicas como as psicológicas serão muito bem estudadas e trabalhadas. Diferente da última Copa, que mesmo com um bom time, a seleção nunca passou confiança na parte psicológica, lideradas pelo inexperiente e turrão Dunga.

Destaques
Relembre os últimos algozes do Brasil na Copas
Copas de 90, 94 e 2002 têm jogadas gêmeas; assista
Top 5: vilões do Brasil em Copa do Mundo
Felipão tem ‘cota pessoal’ dentre convocados para Copa

Assim como em 2002, Felipão terá alguns capitães no time, e claro não deve mexer na estrutura da equipe. Poucas posições ainda estão em dúvida, que deve ser tirada nas próximas semanas de treino.

Convocado desde 2013, o goleiro Julio César fez algumas partidas no Toronto e disse que chegar melhor que a última Copa, tava ‘mascarado’ por ser considerado o melhor do mundo.

Thiago Silva terminou o ano bem, levantou a taça e mesmo jogando de ‘máscara’, se recuperou bem da contusão.

David Luiz terminou o ano como volante do Chelsea, e insatisfeito com o zagueiro, Mourinho o vendeu para o PSG, aonde formará com Thiago a zaga da seleção.

Neymar começou bem o ano, mas duas contusões e os problemas da transferência tiraram um pouco o foco do jovem atacante, que terminou o ano machucado e no banco.

Fred, que esteve ausente no começo do ano, conseguiu recuperar a boa forma e liderava o Flu ao topo da tabela no Brasileirão, com gols importantes.

Peças chave da equipe não chegaram 100% e isso pode ser um problema, Oscar e Marcelo tiveram uma temporada muito boa no campo, mas também problemática fora dele, com contusões, perderam a parte decisiva da temporada, Marcelo ainda se recuperou a tempo de entrar no segundo tempo da decisão da Champions e ajudou a mudar o jogo, além de ter sido recompensado com um gol na prorrogação.

Com a experiência de Felipão e Parreira em Copas passadas, ambos apostaram em jogadores que não chegavam 100% (Branco, Ronaldo) e acabaram se dando bem, eles sabem que certos jogadores podem ser muito importantes nas fases seguintes. Branco fez o golaço de falta decisivo contra a Holanda nas quartas de 94 e Ronaldo fez 8 gols, foi artilheiro e decisivo em 2002.



Sou amante e estudioso de esportes! Nasci em São Paulo, estudei em Los Angeles, NY e fiz pós-graduação em Barcelona, sempre acompanhando de perto as competições esportivas pelo mundo.