Elias é o que o Corinthians precisa para engrenar após a Copa

Enquanto espera Elias ter condições de jogo, o Corinthians tem tido desempenho irregular no Campeonato Brasileiro. Perdeu para o então lanterna Figueirense na abertura do Itaquerão, dia 18 de maio, e venceu o líder Cruzeiro na última quarta-feira, no Canindé. Em ambas as ocasiões, por 1 a 0. O alvinegro não é uma equipe ruim – do contrário, não estaria colado nos líderes, ocupando a 3ª posição no nacional, com 15 pontos. Mas não é exatamente bom a ponto de ser favorito à taça.

Isso, contudo, deve mudar com o acréscimo de Elias à equipe, o que só poderá acontecer após a Copa do Mundo por causa da janela de transferências – ele foi comprado do Sporting, de Portugal.

O volante, que tem características mais ofensivas do que defensivas, vai agregar muita qualidade ao meio de campo do técnico Mano Menezes. Ao lado de Ralf, Petros (ou Guilherme) e Jadson (ou Renato Augusto), o Timão será uma equipe muito interessante de se ver.

Elias é versátil, inteligente. Sabe segurar a bola. Passa bem e tem boa visão de jogo. Mas não é exatamente um jogador como o são-paulino Paulo Henrique Ganso, que atua mais parado. Elias é um dínamo, que se movimenta muito, ajuda a recompor a marcação, marca se necessário e, principalmente, chega ao ataque como elemento supresa.

Em sua primeira passagem pelo Parque São Jorge, onde também trabalhou sob a batuta de Mano Menezes, o camisa 7 foi muito bem atuando dessa forma. Ele forma o meio de campo com Cristian e Douglas, em um 4-3-3. Cristian mais plantado, Douglas na armação. Elias na correria.

A versão 2014 do Timão terá nova cara com Elias. Ele deve ser o terceiro homem do meio-campo. Ralf deve continuar fazendo o serviço sujo de destruição, agora auxiliado por Petros, o maior ladrão de bolas do Campeonato Brasileiro. Guilherme vira opção para um esquema mais defensivo ou pode revezar com um dos dois. Mais à frente, Jadson e/ou Renato Augusto dão o toque criativo. Talvez, atuando até pelos lados do ataque, municiando Romarinho e Paolo Guerrero.

Mano terá opções e não serão poucas. Mas para funcionar, Elias deve ser o cara do treinador. O futuro é promissor para a Fiel.

Foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.