Opinião: UFC tem que demitir Wanderlei Silva

Wanderlei Silva é um dos maiores ídolos no Brasil no MMA. Mas não dá ficar ao lado do Cachorro Louco neste momento. A meu ver, o UFC deveria demiti-lo após ele não se submeter a um exame antidoping nesta semana.

O brasileiro estava com luta marcada para o dia 5 de julho. Wanderlei enfrentaria o americano Chael Sonnen – seu desafeto desde antes de ambos serem os treinadores do reality show “The Ultimate Fighter Brasil 3” – no UFC 175, em Las Vegas.

Sem o exame, o curitibano foi substituído por Vitor Belfort.

DESTAQUES:
Dana confirma ‘fuga’ de Wanderlei do antidoping
Wanderlei ainda confia em lutar no UFC 175; assista
Wanderlei conseguiu. Será zoado por Sonnen pela vida inteira

Polêmicas e estranhamentos a parte (Belfort foi substituído por Lyoto Machida na disputa do cinturão dos médios por causa da proibição do TRT. Agora, está de volta ao card), o UFC fará bem se demitir Wand.

Acredito eu que isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde. No octógono, o Cachorro Louco não foi nem metade do lutador que reinou entre os pesos médios no Pride. No Japão, Wand é rei; nos EUA, terra do UFC, deu margem a ser ridicularizado pelas más atuações.

Ao “escapar” do antidoping, Wanderlei falta com o profissionalismo. Mesmo que o exame tenha sido surpresa, como explicou o presidente do UFC, Dana White, era obrigação do brasileiro apresentar-se em dia. Faz parte do trabalho. Como não o fez, Wanderlei deu a oportunidade que Sonnen queria para tirar sarro.

Péssimo para a imagem do Brasil no UFC. Pior ainda para Wanderlei.

Crédito: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.