Foi bonito ver a união de diferenças na Fan Fest. Apesar das grades

Renan Prates/Torcedores.com

Estive neste domingo para ver um jogo na Fifa Fan Fest de São Paulo, que fica no Vale do Anhangabaú. Achei bonito ver o congraçamento de tantos povos diferentes num mesmo lugar. O único ponto negativo é o excesso de muros e grades.

Eu e a minha namorada, Bárbara, decidimos ir neste domingo acompanhar o duelo entre Bélgica e Rússia, no Maracanã. Mas na realidade o jogo era o que menos importava. Eu queria vivenciar a experiência de ir num evento da Fifa durante a Copa no meu país.

Logo que chegamos, nos deparamos com o único lado negativo da festa, como bem relatou a minha namorada na sua página do Facebook: “Demorei para vir, mas nessa primeira Fan Fest fiquei bastante incomodada desde a chegada. Muitas grades no Vale do Anhangabaú, revista de homens e mulheres para entrar num espaço público – pelo menos não pagava pra entrar, entrar na minha cidade e que deveria ser de todos. O medo impede que a festa seja tão boa. O medo das pessoas que trabalham vendendo produtos para gringos e brasileiros, o medo de quem permitiu e lutou para que a festa seja aqui e de todos. Infelizmente a festa aqui em São Paulo não é de todos”.

Concordo com ela. A Fan Fest deveria ser uma festa democrática. De todos e para todos. Mas as grades e as revistas impedem que isso aconteça. “Ah, mas teve muito roubo no primeiro jogo do Brasil”, justifica um. A Polícia Militar existe para resolver esse tipo de problema. Mas tornar a festa um ‘cercadinho’ não é a solução.

Isto posto, queria falar da parte boa. Vi chilenos interagindo com belgas. Russos conhecendo colombianos. Todos convivendo em harmonia no mesmo espaço. Esse, a meu ver, é o maior legado da Copa.

Fica como ponto positivo também a iniciativa do Ministério da Cultura de criar um estande para contar um pouco das curiosidades culturais do nosso país para os estrangeiros.

Achei também que as empresas que montaram estandes de ativação lá, como Coca Cola, Itaú, Sony, Oi e Johnson & Johnson, foram felizes na escolha das atividades para entreter o público, que lotou os espaços. É esse o caminho.

Não cheguei a ver os shows no palco do Anhangabaú, mas gostei do tamanho do telão e do som ambiente. Deu para acompanhar o jogo tranquilamente. O problema é pagar R$ 6 numa latinha de cerveja. Mas aí é o tal ‘padrão Fifa’ né.

O jogo? Ah, foi 1 a 0 para a Bélgica, que resolveu jogar mesmo só no fim.



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com