Copa: Na ‘babel’ do Itaquerão, Colômbia sai em vantagem

copa
Torcedores.com

Estive na quarta-feira, um dia antes da abertura da Copa, para retirar minha credencial de jornalista para a cobertura do Mundial. Vi muita gente com a camisa do Brasil, alguns argentinos, alguns croatas, gente de países africanos. Mas me surpreendi com uma coisa: havia muitos colombianos na zona leste de São Paulo.

Na torre de babel que mistura gêneros, povos e idiomas de todo o planeta em um só lugar, os conterrâneos do atacante Falcao García (que não vai para a Copa, aliás) dominaram, pelo menos entre o fim da manhã e o início da tarde de ontem, o palco da abertura do Mundial.

Eles estavam em todos os lugares. Na estação de metrô, no shopping das redondezas e no entorno do estádio. Aqui se via famílias trajadas de amarelo, azul e vermelho. Clima de festa. Clima de paz.

O mais interessante é que a Colômbia não vai jogar em São Paulo durante a primeira fase. O time estreia em Belo Horizonte diante da Grécia no sábado (14). Em seguida, vai até Brasília encarar a Costa do Marfim na quinta-feira (19). No dia 24, o destino é Cuiabá, onde os colombianos encerram a primeira parte da Copa diante do Japão.

Como está no Grupo C, os sul-americanos também não jogam no Itaquerão nas oitavas de final. Se avançar em 1° lugar na chave, o jogo é no Rio; em 2°, em Recife. Idem nas quartas de final, que podem ser em Fortaleza ou em Salvador.

A única chance de os colombianos verem o time em São Paulo é, talvez, na seminfinal (que também pode ser em Belo Horizonte). A final é no Rio , enquanto a decisão de 3° lugar acontece em Brasília.

Ou os colombianos são muito esperançosos. Ou só querem fazer a festa na zona leste e na capital paulista. Provavelmente, as duas coisas.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.