Opinião: O Brasil jogou bem? Não. Mas deu o primeiro passo

brasil
Vipcomm

Paciência. Raça. Brasilidade. Foi preciso muito de cada uma dessas qualidades no primeiro jogo do Brasil. Fora a tensão da estréia.

Eu já disse aqui que treino é treino e jogo é jogo, como sentenciou Didi, o inventor da “Folha Seca”. O Brasil treinou contra Panamá e Servia. Mas contra a Croácia era pra valer, era jogo. E foi suado.

Até começar a jogar, nossa seleção tomou três contra-ataques. E foi assim, em velocidade, que, numa bola espirrada, que bateu na zaga e depois no pé de Marcelo, a Croácia fez 1 a 0.

Nossa seleção mandou no jogo a partir daí e empatou num chute mais traiçoeiro do que de força de Neymar, depois de jogada de recuperação de Oscar, o melhor do primeiro tempo. Não deu tempo para mais nada.

Felipão chutou o balde reclamando da arbitragem do japonês Nishimura, juizão que viu a cotovelada de Neymar e mais nada. Nada, nada. Um banana.

O segundo tempo começou com cheiro de empate. Com 15 e um pouco mais, Hernanes entrou no lugar de Paulinho. Depois entrou Bernard no lugar de Hulk, que não tinha entrado em campo, se me entende o amigo.

Felipão queria mais criatividade e o time mais na frente, e velocidade, é claro.

Nada disso importa quando se tem estrela. Fred, o sumido, sofreu um pênalti que não foi. Êta japonês ruim de apito. Nosso Nishimura meteu a bola na cal e Neymar bateu mal, mas fez. Um 2 a 1 amarelo.

Oscar estava jogando muito e o Brasil teve boas oportunidades. Até o final, a Croácia se mandou à frente e pressionou, mas não deu. Julio Cesar fez grande defesa e em seguida o castigo.

Oscar se mandou numa roubada de bola. Foi, foi e deu de bico que o jogo é de campeonato. Um 3 a 1 para me consagrar no bolão do Bola Dividida e aqui da minha casa. Foi o primeiro passo, restam mais 6 para ser feliz.

O Brasil jogou bem? Não.



Luiz Ceará é formado em Jornalismo pela PUCC-Campinas. Iniciou a carreira na Radio Cultura de Campinas e depois EPTV, filiada à Rede Globo. Trabalhou na TV Globo - SP, SBT, TV Século 21, TV Bandeirantes e RedeTV!, onde é repórter e comentarista. Participou da cobertura de 4 Copas de 3 Olimpíadas.