Opinião: Cansei do “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”

Brasil x México
Getty Images

Cansei do “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”. Não dá para ver uma torcida do meu país com tão pouco repertório na hora de torcer.

Não consigo acreditar como conseguimos causar tamanha emoção na hora do hino nacional, tanto aos jogadores da seleção brasileira quanto a quem acompanha as partidas da TV e, ao mesmo tempo, mostrar tanta falta de originalidade na hora de entoar cantos de apoio ao Brasil. Em alguns casos, nem esperamos o fim do primeiro tempo para vaiar, pois o Brasil não tem direito de jogar um tempo sequer mal, não é mesmo?

LEIA MAIS:
Pelé escuta primeiro tempo do rádio e reclama do trânsito de São Paulo
Ochoa fecha o gol em Brasil x México; reveja defesas
Brasil x México: Senhor Barriga acompanha partida no Castelão

Os cantos temáticos são os que melhor empurram e que mais dão graça aos jogos. Mostram a criatividade de quem torce no estádio, e empolgam quem está em campo. Só para citar um exemplo: os argentinos nem bem chegaram na Copa e já criaram uma música criativa para nos provocar. E o que fizemos em troca? Xingamos Messi. Não criamos nada.

Aliás, somos bons em xingamentos. Não poupamos nem a presidenta da República, Dilma Rousseff, que foi na abertura da Copa e desistiu de ir em outros jogos com medo de ser xingada. Bacana, não? E a minha crítica seria a mesma se fosse Aécio Neves, Eduardo Campos e até FHC no lugar de Dilma no posto de comandante máximo da República.

Escrevo estas linhas aos 30min do segundo tempo, antes mesmo do fim do jogo entre Brasil e México. Tomara que tenhamos mais cinco partidas até o fim da Copa. Se isso acontecer, boa oportunidade para melhorarmos de postura, não?



Jornalista de esportes desde 2005, com passagem pelo UOL e Terra. Editor de comunidades do Torcedores.com e blogueiro do renanprates.com