Opinião: Eu não gosto de bolão

bolão

Não se fala de outra coisa durante a Copa do Mundo. Em grande parte dos escritórios, o assunto quando começam os jogos do Mundial e, principalmente, quando saem gols é se isso vai ajudar ou prejudicar nos bolões. E é nessas horas que me sinto um pouco fora do aquário ou um excluído da festa.

Eu não participo de bolões. Fui convidado para participar de dois, confesso, mas decidi não entrar na brincadeira. Primeiro pela sorte em si. Depois, pelo dinheiro. O prêmio era atrativo e realmente coçava a mão. Mas, e se eu perder? Dinheiro é dinheiro e gastar a à toa é contra os meus princípios pessoais. Então, resolvi ficar apenas como espectador dos bolões alheios.

E é engraçado ver gente comemorando gols de Bélgica e Uruguai e praguejando contra tentos ingleses e argelinos, por exemplo, só por causa dos placares arriscados nas brincadeiras. Não por gosto, mas só para garantir pontos que beneficiariam no bolão. “Quanto você pôs nesse jogo?”, pergunta um. “Maldita Croácia, fez um a mais do que eu esperava contra Camarões”, pragueja outro. Cenas comuns em qualquer ambiente de trabalho.

O único jogo semelhante a bolão que participo, é o famigerado Cartola. O que já me levou à situação constrangedora de comemorar um gol contra o meu time só porque o atleta em questão estava escalado na minha equipe virtual. Muito complicado. Continuo participando, até porque são coisas diferentes. Há como analisar mais, reduzir o fator sorte. Mas, ainda assim, já fui mais empolgado.

Brincadeiras como essa fazem do futebol um jogo de azar. E é algo que fica viciaste, afinal, quanto mais se ganha, mais vontade de ganhar se tem. Não sei se é bom misturar o esporte com algo assim. Acompanhar, gostar e torcer baseado em combinações que vão ajudar ou atrapalhar desempenho em jogos, como apostas às cegas, não me parece bom.

Crédito da foto: Divulgação



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.