Opinião: UFC perde demais sem Chael Sonnen

sonnen
Divulgação

Podem dizer o que for de Chael Sonnen. Que mais fala do que luta, que falta com o respeito com os rivais e que é marqueteiro acima de tudo. Mas que o norte-americano vai fazer falta no UFC, isso vai.

Após falhar no teste antidoping para o UFC 175, que acontece em 5 de julho em Las Vegas (Estados Unidos), o falastrão anunciou aposentadoria do MMA. Aos 37 anos, Sonnen encerra a carreira com 28 vitórias, 14 derrotas e um empate. O último combate foi em novembro do ano passado, quando foi nocauteado por Rashad Evans.

Nunca falei pessoalmente com Sonnen. Mas já ouvi de gente como Anderson Silva e já li de muita gente que o americano não é o vilão que aparenta ser. Falastrão e provocador, sim. Principalmente com câmeras e microfones ligados. Sonnen vendia bem demais o UFC.

E é neste ponto, vendas, que ele fará falta. Bom lutador (não brilhante. Bom e ponto), Sonnen se promovia como poucos. Criava rivaldades e enchia os combates de expectativa. Na arte do thrash talking foi um mestre, do nível do lendário boxeador Muhammad Ali.

Em entrevista recente, o presidente do UFC, Dana White, falou que Chael seria o sucessor ideal no comando da organização. Para Anderson Silva, o americano ainda seria presidente dos Estados Unidos.

Isso é Chael Sonnen. Fará falta aos cofres do UFC.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.