Opinião: Vai pra casa, Espanha

Getty Images

Quando Sergio Busquets perdeu um gol aos 8min do segundo tempo, a câmera cortou para o técnico Del Bosque. Mãos na cabeça e olhar para o chão. A imagem da derrota da Espanha na Copa.

Um treinador de futebol, por melhor que seja ou por mais brilhante, não joga e não faz gol. Nem defende. E também não falha como os atacantes e armadores ou defensores e não joga muito mal como jogou Casillas, um dos melhores do mundo, mas que nesta Copa não falhou somente uma vez. Jogou nada, nada como seu time, que não viu a bola contra a Holanda e também contra o excelente Chile.

Os chilenos invadiram a sala de imprensa do maraca e alguns entraram em cana. (veja imagens aqui no Torcedores.com) Dentro do estádio, uma emocionada onda vermelha chilena viu dois gols no primeiro tempo ainda. Um de Aránguiz, outro de Vargas. Era demais pra eles.

A Espanha ficou vendo o Chile jogar, corajoso, marcando forte e criando oportunidades como a de Isla, gol feito no segundo tempo que ele chutou pra cima, sem cacoete de marcador.

A imagem não nega, a Espanha, ninguém sabe por que, não veio para a Copa do Brasil. Um time despreparado fisicamente e moralmente. Sem força nem criatividade. Sem talento, sem garra. Pálido, morto. Sem respeito ao título de campeão do Mundo. Uma geração que acabou estraçalhada por um chocolate holandês e pelo olé chileno.

Vai pra casa, Espanha.



Luiz Ceará é formado em Jornalismo pela PUCC-Campinas. Iniciou a carreira na Radio Cultura de Campinas e depois EPTV, filiada à Rede Globo. Trabalhou na TV Globo - SP, SBT, TV Século 21, TV Bandeirantes e RedeTV!, onde é repórter e comentarista. Participou da cobertura de 4 Copas de 3 Olimpíadas.