Quando Kobe desafiou o Brasil na Copa do Mundo: cronologia de uma maldição

Kobe

O ano era 2010, Copa do Mundo da África do Sul. LeBron James ainda dava murros em ponta de faca com o time do Cleveland Cavaliers. O Big Three estava em Boston, não em Miami. E os Lakers eram a bola da vez. Kobe Bryant havia acabado de conquistar seu quinto título, com direito a MVP das finais.

A Nike, malandra que só ela, investiu numa ação de marketing que tinha tudo a ver com aquele momento futebolístico: colocou o astro da NBA para “competir” com a seleção brasileira numa corrida pelo sexto título. Quem chegaria primeiro ao hexa? Brasil ou Kobe?

Bom, considerando que a Copa acontece apenas a cada quatro anos e que a NBA consagra um campeão a cada temporada, as chances de Kobe era muito maiores, concorda? Especialmente depois do fiasco do time de Dunga diante da Holanda.

Mas de 2010 para cá, muita coisa mudou na vida de Kobe e dos Lakers. E mudou para a pior, convenhamos. O que era uma oportuna ação de marketing virou quase uma maldição.

Em 2011, na semifinal da conferência, o time foi varrido pelo Dallas Mavericks, que seria o campeão daquele ano. Em 2012, foi a vez do Thunder despachar Kobe e cia por 4 a 1.

Lembrar de 2013 é doloroso, mas vamos lá. O time contrata Steve Nash e Dwight Howard, mas o que parecia um sonho vira um engodo de personalidades incompatíveis, lesões e péssimo comando dos técnicos Mike Brown e Mike D’Antoni. A cereja podre do bolo foi o rompimento do tendão de aquiles quando Kobe dava um show, carregando o time nas costas rumo a uma mísera vaguinha nos playoffs. Tudo isso para ser varrido pelos Spurs ainda no primeiro round, com Kobe seriamente lesionado.

Com menos de três meses jogados da atual temporada, Kobe sofre outra lesão e perde todo ano. Os Lakers nem sequer chegam aos playoffs, amargando uma das piores campanhas da história.

Quatro anos depois da aposta do Kobe, a seleção brasileira mudou bastante. Mudou de técnico, renovou seus jogadores e, mesmo jogando em casa, não tem o mesmo favoritismo da Copa de 2010. Ainda assim, por mais triste que isso possa parecer enquanto fã de Kobe que sou, acho que nós ainda temos mais chances de conquistar esse hexa.

Foto: Divulgação



O blog Homens Brancos Não Sabem Blogar (HBNSB.com) existe desde 2010, escrevendo sobre basquete brasileiro, europeu, curiosidades e, principalmente, NBA. O nome é uma homenagem a este clássico esquecido do cinema basqueteiro: White Men Can't Jump.