Ralf é o “pitbull” do Corinthians

ralf

Ralf chegou ao Corinthians em 2010, juntamente com o volante Marcelo Mattos, que retornava ao clube após três anos no Panathinaikos da Grécia. Vindo do Barueri junto com o zagueiro Leandro Castán, Ralf demonstrou em campo ser um verdadeiro guerreiro e logo fez a torcida esquecer o ídolo Cristian que havia se transferido para o Fenerbahce da Turquia.

Muitos volantes reservas já passaram pelo Corinthians desde que Ralf assumiu a titularidade, mas de fato ele nunca teve um substituto à altura desde que chegou ao clube de parque São Jorge. Mesmo assim, nunca se acomodou e sempre manteve o mesmo nível dentro de campo e em quatro anos se tornou ídolo da torcida corintiana.

Já fez dupla com Elias e Paulinho e teve sucesso com os dois. Com o primeiro não ganhou títulos, mas chegaram a ser considerados os melhores volantes do Brasil em 2010. Com a saída de Elias para o Atlético de Madrid no final do Brasileirão do mesmo ano, Paulinho assumiu a posição e formou, talvez, uma das melhores duplas de volantes da história do clube e os números falam por si.

Juntos conquistaram cinco títulos, dentre eles um que o clube ainda não havia conquistado, a Libertadores em 2012.

Um fato que chama atenção em Ralf é que em 266 jogos com a camisa alvinegra, ele nunca foi expulso mesmo sendo um volante de contenção. Além de ser um jogador que raramente fica fora de uma partida, seu histórico de lesão é pequeno.

Recebeu a primeira oportunidade na seleção em 2011 com o técnico Mano Menezes, em um amistoso contra Alemanha. Pela seleção, possui sete jogos e um título, o do Superclássico das Américas contra a Argentina.

Uma notícia que saiu segunda-feira na coluna do site da Folha de São Paulo, é que os representantes do jogador estão insatisfeitos com o Corinthians, pois ficaram sabendo que o clube quer negociar o jogador na pausa da copa do mundo. Nem o jogador nem seu estafe querem a saída do Timão.

Se for verídica a informação, não irá ser estranha a saída do volante, já que o presidente Mario Gobbi disse ter um acordo com o Cristian para que ele voltasse ao clube quando se desligasse do Fenerbahce.

Crédito da foto: Divulgação



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.