Revista Rolling Stone detona torcidas organizadas do Brasil

A revista ‘Rolling Stone’ detonou a Copa e as torcidas organizadas do Brasil. Em uma mega matéria, a tradicional revista americana de música e comportamento criticou o país dentro e fora dos estádios.

Claro que a revista aborda o custo alto da Copa e falta de legado, mas principalmente, fala das brigas de torcedores dentro e fora dos estádios, que tem causado muitas mortes. Segundo a revista, de 1988 a 2013, aconteceram cerca de 234 mortes relacionadas ao futebol, sendo 30 no ano passado.

Ao invés de evoluir, parece que o torcedor brasileiro ainda continua aquele inconsequente de antigamente, sem educação e condições de diferenciar uma partida de futebol de um campo de batalha.

Desde a morte de um torcedor, dentro do campo, em 1993, a Polícia Militar resolveu banir bandeiras, instrumentos, e bebidas dos estádios. Mas simplesmente esqueceu de banir os vândalos. Perdendo a chance de copiar a Inglaterra, que conseguiu ‘criar’ uma nova Liga, de sucesso e sem violência, banindo os hooligans. O mais importante de tudo foi que a Inglaterra checou se eles estavam cumprindo os deveres especificados pela Lei nos horários das partidas de seu time.

Com a Copa do Mundo na esquina, a Rolling Stone resolveu pesquisar um pouco mais, e descobriu que o país do futebol, na verdade, é o pais da violência nos campos de futebol.

Capturar4444

A revista cita vários exemplos: teve morte no campo, morte na rua, juiz que matou jogador e foi esquartejado pela torcida, privada assassina, entre outros. E lógico, a Rolling Stone resolveu ‘avisar’ ao mundo que a Copa do Mundo pode ser muito perigosa para os turistas, inclusive pelo fato dos ‘torcedores’ brasileiros não estarem muito afins da bola no campo, e sim interessados em tumultuar o jogo e a organização.

O povo #VempraRua da Copa das Confederações está prometendo mais manifestações nos dias de jogos, e a polícia já disse que não vai dar chance de estragarem a Copa, que estará sendo assistida pelo mundo todo. Segundo a nossa presidente, a polícia vai estar em massa nas ruas, protegendo não só o estrangeiro, mas também os brasileiros que querem participar da maior festa de esporte do planeta.



Sou amante e estudioso de esportes! Nasci em São Paulo, estudei em Los Angeles, NY e fiz pós-graduação em Barcelona, sempre acompanhando de perto as competições esportivas pelo mundo.