Mercado da Bola: Romero é uma boa aposta do Corinthians

Com todos os holofotes voltados para a Copa do Mundo, fez pouco barulho a contratação do atacante paraguaio Ángel Romero pelo Corinthians. O atleta, de 21 anos, esteve em São Paulo na última quinta-feira para assinar um contrato de cinco anos com o alvinegro do Parque São Jorge.

Mas, afinal, o que credencia Romero a jogar pelo Corinthians?

Trata-se de uma aposta. Uma boa aposta. Primeiramente pelos valores. O Cerro Porteño recebeu o equivalente a R$ 7 milhões, preço relativamente baixo. O mercado de atacantes brasileiros inflacionado. Alan Kardec, por exemplo, foi para o São Paulo pelo dobro desse valor, mas é reconhecidamente bom jogador.

Além disso, o Corinthians não pôs a mão no bolso. O dinheiro veio de um grupo de investidores, que cedeu ao clube 20% dos direitos econômicos do atleta. Ou seja, o clube só pagará os salários. Além disso, pela idade, é um jogador com alto potencial de retorno em uma eventual negociação.

E bola? Pelo menos no futebol paraguaio – que não vive um bom momento – Romero mostrou que tem. Não só pelos 41 gols em 85 jogos pelo Cerro Porteño, mas por contar com um bom repertório técnico. Forte (tem 1,77m e pesa 71kg) consegue jogar posicionado entre os zagueiros, Dentro da pequena área, costuma demonstrar oportunismo. Também consegue avançar com a bola em velocidade. Faz gols de cabeça e até de falta. Resta saber se renderá tão bem em um futebol de maior nível técnico.

Em sua a apresentação, Romero se definiu como um “jogador que se entrega”. Se for verdade, é meio caminho andado para cair nas graças da Fiel.  Além disso, tem a seu favor o fato de que quem precisa mostrar serviço é o titular da posição, Guerrero. Sem tanta pressão, o paraguaio pode render melhor.



Jornalista. Discursos prontos para a agradar a opinião pública me incomodam.