Seleção brasileira vai ao encontro da eternidade

seleção
Getty Images

O jogo da seleção em São Paulo foi um excelente teste final para Felipão analisar seu time para esta Copa. A Sérvia não tomou conhecimento do que estava à sua frente. Um time pentacampeão. Marcou forte e teve as melhores oportunidades no primeiro tempo. Nossos zagueiros David Luiz e Thiago Silva bateram cabeça e quase tomamos um gol ainda no primeiro tempo. Teve porradeira pra cima dos brasileiros, notadamente em Neymar. Nada esquisito. Tudo normal. No segundo tempo mais um lance de várzea. Fernandinho foi meter uma bola e acertou Neymar. Feio. Mas foi só.

LEIA MAIS:
BrasilxSérvia: Thiaguinho canta o hino, divide fãs e faz Neymar sorrir
Corinthians ironiza o São Paulo sobre estádio de abertura da Copa

O que o Brasil fez? Tentou jogar num campo molhado. Claro que no campo seco seria outro papo. Deu para o gasto porque o torcedor de São Paulo não dá moleza. Não puxa o saco de ninguém. Pediu Luis Fabiano e se deu mal. Bom para Fred que demonstrou segurança e equilíbrio. Ele recebeu bola do alto, matou no peito e tirou o zagueiro da jogada. A bola fugiu e ele meteu com o pé trocado. Raça, experiência e habilidade. Faro, cheiro de gol. Fred é titular por causa disso. Hoje está melhor que Luis Fabiano.Traz confiança. Sobrou uma bola, e ele fez.Calou o Morumba.

O Brasil está pronto?

Não e nenhuma seleção está. Todos estão tirando a gordura, afinando o violino ou nas preliminares de uma relação sexual se o amigo me entende. Contra a Croácia o samba tem que estar afinado por que aí não dá pra voltar.

Eu cobri a seleção brasileira em sete eventos internacionais. Quatro Copas e três Olimpíadas. Sei como é perder e como é vencer. O que é amargo e o que doce. Por isso digo aos jogadores que perder a Copa é a gloriosa desgraça. Vencer é a eternidade.

Nossa seleção dia 12, vai ao encontro da eternidade. Boa sorte.



Luiz Ceará é formado em Jornalismo pela PUCC-Campinas. Iniciou a carreira na Radio Cultura de Campinas e depois EPTV, filiada à Rede Globo. Trabalhou na TV Globo - SP, SBT, TV Século 21, TV Bandeirantes e RedeTV!, onde é repórter e comentarista. Participou da cobertura de 4 Copas de 3 Olimpíadas.