Seleção Brasileira: Willian e Maicon estão prontos para ser titulares na Copa

O último amistoso da Seleção antes da Copa do Mundo (o time venceu a Sérvia por 1 a 0), sexta-feira (6), no Morumbi, mostrou que dois jogadores têm grandes chances de se tornar titulares nos primeiros jogos do Mundial: Willian e Maicon.

DESTAQUES
Brasil x Sérvia: Neymar sofre a falta mais rápida da história; assista
Brasil x Sérvia: Fred ‘cala’ torcida e define vitória; assista

Tanto o meia quanto o lateral entraram no decorrer da partida nas vagas de Oscar e Daniel Alves, respectivamente. E deixaram claro que a condição de reserva na Seleção não é definitiva.

Willian só não começou jogando contra a Sérvia porque Oscar, que não é bobo, não deu chance. O camisa 11 foi liberado do último treino da Seleção para acompanhar o nascimento da filha em Campinas (interior de São Paulo), dando a vaga no meio de campo ao seu companheiro de Chelsea. Mas o técnico Luiz Felipe Scolari conversou com Oscar e manteve o até agora titular na equipe.

Mas, quando a bola rolou, Oscar teve nova atuação ruim. Assim como no jogo contra o Panamá, ele pareceu perdido em campo. Errou passes bobos e se escondeu das jogadas. Sua faixa de campo, frequentemente, foi ocupada por Neymar. Mostrou pouco “sangue” em campo e não fez a bola chegar no ataque.

Quando entrou na partida, no segundo tempo, Willian deu nova cara e novo gás ao time. Deu velocidade. Foi buscar a bola no campo de defesa do Brasil e criou jogadas. Mostrou o porquê de ser elogiado por Felipão.

Maicon, por sua vez, tem tudo para “derrubar” Daniel Alves da lateral direita durante a Copa. O camisa 23, titular no Mundial de 2010 (seu reserva era justamente Daniel) mostrou novamente que está bem fisicamente. E, ao contrário do jogador do Barcelona, deu mais segurança defensiva à Seleção.

Para melhorar o cenário para atleta da Roma, o camisa 2 esteve em um dia apagado. Pouco fez ofensivamente. E, quando tentou ajudar, atrapalhou. Em um de suas (raras) investidas no Morumbi, os Sérvios contragolpearam no buraco deixado por ele na defesa. Daniel é um excelente jogador, muito bom no ataque, mas deixa a equipe exposta. Maicon é mais contido, mas proteje melhor.

Além deles, outro que tem de abrir o olho é Fred. Está certo que foi dele o gol da partida, no melhor estilo brigador, caído no chão. Mas foi uma das poquíssimas coisas que o camisa 9 fez em campo. Contra o Panamá, ele se tornou presa fácil para a fraca defesa caribenha. No Morumbi, Fred saiu demais da área. Não raro, Neymar ficava como o homem mais isolado do ataque do Brasil enquanto o jogador do Fluminense ia buscar a bola no meio de campo. Talvez fruto da apatia de Oscar.

Jô teve chance e quase marcou. Pode complicar a vida do titular caso os gols sequem.

Foto: Getty Images



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.