Wanderlei perde moral e vira ‘estrangeiro’ no Brasil

Wanderlei Silva não estava presente ao ginásio do Ibirapuera, na madrugada de sábado para domingo, para acompanhar as finais do TUF Brasil 3 , do qual foi um dos treinadores. Graças a isso, não passou pelo constrangimento de ser vaiado em seu próprio país.

O Cachorro Louco perdeu moral no Brasil após a polêmica antidoping em relação ao UFC 175 – ele lutaria contra o americano Chael Sonnen no dia 5 de julho, em Las Vegas. Passou a imagem de ter amarelado. E, durante o reality show, começou a se tornar “vilão” enquanto Sonnen, que até então era o americano que odiava brasileiros e o Brasil, começou a mostrar uma face mais carismática e ganhou fãs.

A maior prova da perda do prestígio de Wanderlei aconteceu logo após a vitória de Antônio “Cara de Sapato” por decisão unânime sobre Vitor Miranda, na final dos pesos pesados do TUF. Entrevistado ainda no octógono, o campeã,o do reality show fez os agradecimentos tradicionais e tocou no nome de Wand, seu técnico no programa. Foi o que o Ibirapuera em peso precisava para iniciar uma sonora vaia.

Constrangido, “Cara de Sapato” tentou contornar a situação: “Ele (Wanderlei) merece respeito por tudo o que fez no Pride. Chael (Sonnen) também merece respeito.” Na entrevista coletiva pós-luta, não teve como fugir do assunto: “Eu convivi 45 dias com Wanderlei e conheço bem ele. Sei que ele fez o melhor pela nossa equipe e nos preparou da melhor maneira possível. Wanderlei é um cara muito legal, uma lenda no MMA e a imagem dele não muda em nada para mim. Sonnen também é, claro. Mas eu realmente apoio o Wanderlei e acho que a imagem de um dos grandes heróis nacionais no MMA não mudou.”

Caso a luta entre Sonnen e Wanderlei venha um dia a acontecer, será melhor para o Curitiba o que a luta aconteça no Japão, onde é ídolo incontestável. No Brasil, o Cachorro Louco virou estrangeiro.



Jornalista, editor do Torcedores.com. Passagens pelos jornais Metro, O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Marca Brasil, Agora São Paulo, Diário de S. Paulo e Diário do Grande ABC.