Bruno César: falta comprometimento ou físico?

Bruno César

O jovem Bruno César, que foi revelado na União Barbarense ainda quando tinha 16 anos, já despontava com grande futuro. Após este começo, passa pelo Bahia, São Paulo, Grêmio e pelo próprio Palmeiras – onde está hoje, e não foi aprovado em nenhuma peneira.

Seu nome teve grande apelo em 2010, quando atuava pelo Santo André, clube com qual chegou a final do Campeonato Paulista daquele ano. Com o estadual que fez, acabou chamando a atenção de grandes clubes do país, mas optou pelo Corinthians. Atuações sólidas e artilharia da equipe do brasileirão do mesmo ano, com 15 gols em 34 partidas, e eleito revelação do campeonato, ali começava um salto na carreira, que parece não ter sabido lidar muito bem no futuro.

LEIA TAMBÉM
Equipe de TV é roubada após jogo entre Palmeiras e Fiorentina

Logo no ano seguinte, o time corintiano foi eliminado pelo Tolima, na fase preliminar da Copa Libertadores, o que acarretou muitas críticas em cima do atleta, que acabou sacado momentaneamente do time titular por Tite.

Com um momento nada favorável na carreira, o Corinthians e o jogador, decidiram aceitar uma proposta de € 5 milhões do Benfica, de Portugal, time com qual assinou até 2017. Lá teve um começo arrasador, fazendo gols importantes em Uefa Champions League e Uefa Europa Ligue, mas como no alvinegro da capital, começou a ter performances abaixo da crítica na Liga Sagres, onde todos sabem o nível técnico, não é tão exigido, como na Ligue 1, por exemplo.

Jorge Jesus, treinador até hoje do Benfica, decidiu colocar César no mercado de verão, para que pudesse sair do clube ou mesmo do país para reencontrar o futebol que o levou até os encarnados na época.

Em 2013, Al-Ahli, da Arábia Saudita o contratou em definitivo dos portugueses pela mesma quantia que o Benfica havia pago aos brasileiros. Porém o jogador não se adaptou e com um inicio regular, acabou perdendo espaço no time titular e depois retomando.

O Palmeiras entrou na vida de Bruno César como seu salvador, já que a jovem revelação  do Brasil em 2010, estava esquecida no ‘mundo árabe’. Assim que soube do contato da diretoria palmeirense, se mostrou solicito na negociação com o Palmeiras e os sheiks donos do seus direitos. Primeiramente tentou vinda em definitivo, mas o clube por ter comprado o atleta há um ano, não abriu negociação. Após conversas, chegaram ao acordo de empréstimo até o fim de 2014.

O meia chegou com status de uma das melhores contração, se não a melhor, para o centenário do clube, mas pouco fez até agora. Sendo banco na maioria dos jogos, inclusive quando time tem muitos desfalques, nem com Gilson Kleina ou com Ricardo Gareca, ele está cotado entre os 11, somente entre os 22. Tudo bem que ele teve uma lesão grau 2 na coxa, assim que retornou, mas algo que nenhum dos torcedores palmeirenses ou jornalistas que cobrem o time diariamente ou mesmo de longe, o porque do meia de 25 anos está fora de forma, pois já estamos entrando no mês oito.

Mais uma vez um grande jogador, daqueles seriam e não foram.

Foto: Getty Images



Jornalista da Band - Esporte é vida. Ser um amante do futebol, é um privilégio. Editor/Repórter do programa "Os Donos da Bola" das 13h às 15h. Aos fins de semana em toda programação esportiva.