Adriano e Pato: Caminhos distintos, porém mesmo destino?

images

Calma, não é na irresponsabilidade que estou comparado ambos jogadores. Eu quero falar sobre craques perdidos.  Adriano é sem cabeça e o Pato sem atitude.

Adriano surgiu no Flamengo como uma promessa, saiu para Europa e despontou de vez na Inter de Milão. Lá foi chamado até de imperador, apelido pelo qual ele é lembrado até hoje. Levou essa boa fase a seleção até a eliminação do Brasil na Copa de 2006. Após aí, só problemas. Baladas, festinhas particulares, confusões com bebidas e consequentemente faltas a treino. Em entrevistas, sua mãe falou que a morte de seu pai contribuiu para que acontecesse isso com Adriano. Pois é, depois disso perdemos um craque.

A Inter de Milão, após ver as irresponsabilidades de Adriano, emprestou ele ao São Paulo como uma forma de recuperar o jogador. Tudo em vão. Ele começou bem, foi artilheiro do tricolor em 2008, porém indisciplinas encurtaram sua passagem pelo Morumbi. Depois foi ao Flamengo, ganhou o Brasileirão, foi artilheiro e já se cogitava que ele seria o camisa 9 na Copa do Mundo, porém mais uma vez a cabeça dura o complicou. Não foi ao mundial, e acabou se transferindo para Roma.

LEIA MAIS
O vacilo de Neymar, Robinho voltando e sim, Valdívia está vivo.
Vai ter Libertadores. Chamar de Papa x Zebra é ser arrogante
Seleção brasileira: o que a Globo tem a ver com o 7×1?

Não conseguiu êxitos por lá. Machucou o ombro que o afastou por um tempo dos gramados, e logo após se recuperar foi contratado pelo Corinthians, onde teve mais uma vez a oportunidade de dar a volta por cima. Foi campeão brasileiro, fez um gol importante contra o Atlético-MG, mas o clube alvinegro viu que o jogador não tinha jeito e o demitiu. Podemos dizer que a partir daí o Adriano sumiu.

Voltou ao Flamengo, mas não jogou. Teve uma curta passagem pelo Atlético-PR até o final da participação do clube na Libertadores e já era. Dizem até que ele recebeu uma proposta de um time da quarta divisão da Itália. Duvido.

É isso, resumindo a carreira do Adriano após 2006, foram só confusões, bebidas, faltas a treinos e irresponsabilidade. Perdemos um jogador que poderia substituir Ronaldo na seleção. Porém, não foi só ele que foi considerado um substituto do Fenômeno. Alexandre Pato também foi esse jogador que poderia ocupar o lugar do R9. Poderia…

Começou muito bem no Internacional e foi vendido ao Milan com a responsabilidade de substituir Shevchenko. Começou até bem, mas lesões atrapalharam sua carreira no clube Rossonero. Como uma forma de sanar suas dívidas, o clube de Milão vendeu o jogador ao Corinthians e daí surgiu uma oportunidade do jogador mostrar novamente seu valor,mas seu desempenho não saiu do jeito que todos esperavam.

Apesar de ter sido vice-artilheiro do time na temporada passada, atuou poucas vezes, foi vaiado pela torcida e se demonstrou descontente com a situação. Com a chegada de Mano Menezes, a imprensa e torcedores já cogitavam que o jogador teria mais oportunidades, já que ele foi o técnico que o levou para a seleção nas olimpíadas e em algumas convocações. Mas pelo contrario, também jogou pouco e acabou sendo utilizado como moeda de troca por Jadson, do São Paulo.

Enquanto o ex-camisa 10 tricolor brilha com o manto alvinegro, Pato vive uma situação semelhante a que ele viveu no Corinthians. Joga pouco e também já foi hostilizado pela torcida do São Paulo. Todo mundo no Corinthians falava que ele era um jogador que se empenhava nos treinos, era muito disciplinado, um menino bonzinho, que era o primeiro a chegar e o último a sair. No tricolor é a mesma história, porém nada disso está adiantando.

Agora explicando o meu título. Adriano é um jogador que faltava a treinos, era uma pessoa difícil de lidar e dava muitas despesas aos clubes em que passou e é considerado um desperdício de craque. Pato é um jogador que trabalha duro, se empenha, se dedica, não tem problemas extra-campo mas que vai traçando o mesmo caminho do Imperador. De mais um craque perdido.

O Pato ainda é novo e pode me calar ( e eu espero que ele faça isso), mas se ele não tomar uma atitude, não começar a se valorizar dentro de campo, a coisa vai ficar ruim para o lado dele, porque sim, ainda tem como piorar.

Créditos da foto: Globo Esporte

 



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.