Diego Souza no Palmeiras pode reeditar dupla vitoriosa com Valdivia

O meia Diego Souza está muito cotado para voltar ao Palmeiras quatro anos depois de sua primeira passagem pelo clube. De acordo com a Rádio Globo e com o jornalista Milton Neves, da TV Bandeirantes, a negociação está certa e deve ser anunciada ainda nesta segunda-feira. Se o negócio for fechado, o jogador pode reeditar uma dupla vitoriosa no Verdão ao lado de Valdivia.

LEIA MAIS
Diego Souza confirma retorno ao Palmeiras, diz site
6 motivos para acreditar que o Palmeiras não vai cair de novo
Tragédias da seleção marcam conquista e reconhecimento do Mundial do Palmeiras

Diego Souza foi um dos nomes contratados pelo Palmeiras durante a parceria com a Traffic, empresa de marketing esportivo, quando o time era comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo. O jogador havia feito uma boa passagem pelo Grêmio, onde foi vice-campeão da Libertadores de 2007.

Ele chegou ao Verdão em um momento no qual o clube estava há oito anos sem um título importante, tendo vencido apenas a Série B de 2003. A torcida pressionava por resultados, e campanhas ruins como as feitas pelo Palmeiras no Brasileirão de 2006 e no Paulistão de 2007 eram combustíveis para crises.

O Paulistão de 2008 era a chance de mudar o ambiente no clube. Era o primeiro passo no “projeto” tão defendido por Luxemburgo. A preocupação com aquele título era tamanha que, pensando na final contra a Ponte Preta, o time acabou sendo goleado e eliminado da Copa do Brasil pelo Sport, que acabaria sendo campeão da competição naquele ano.

O Palmeiras fez a segunda melhor campanha na primeira fase, superado pelo Guaratinguetá no número de vitórias. Mas a trajetória nessa fase empolgou a torcida. O time perdeu apenas três jogos e fez uma goleada histórica no São Paulo, em partida disputada no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto. 4 a 1 no clube que havia eliminado o Verdão em duas Libertadores recentes. Diego Souza e Valdivia deixaram seus gols naquele jogo. Não era exatamente uma cura, mas a torcida voltava a respirar ares de otimismo.

A semifinal colocou o São Paulo novamente no caminho do Palmeiras, já que o Tricolor de Muricy Ramalho foi o terceiro colocado na fase anterior. No primeiro jogo, no Morumbi, vitória são-paulina por 2 a 1, com um gol de Adriano muito contestado pelos palmeirenses, que reclamaram toque de mão do atacante.

O jogo de volta era uma decisão com o peso muito maior do que uma semifinal de Paulistão para os palmeirenses. Era a chance do clube espantar o fantasma do São Paulo em mata-matas. O último vencido pelo Verdão havia sido na Copa João Havelange de 2000, oito anos antes daquele jogo. O Tricolor jogava pelo empate. Por ter melhor campanha, o Palmeiras poderia vencer por qualquer resultado.

Diego Souza e Valdivia eram ao lado de Kleber Gladiador e Alex Mineiro as esperanças da torcida do Verdão no Palestra Itália. Logo aos 22 minutos, um falha de Rogério Ceni em um chute da intermediária de Léo Lima colocou o Palmeiras na frente. Restou ao São Paulo correr atrás do resultado. O drama se estendeu até os 39 do segundo tempo, quando Valdivia aproveitou contra-ataque e ampliou, garantindo de vez a vaga na final.

Na decisão, o Palmeiras venceu a Ponte Preta fora de casa no primeiro jogo, por 1 a 0, e teve tranquilidade para quebrar o tabu de títulos no Palestra Itália, diante de sua torcida, com uma goleada de 5 a 0. Nesse jogo, uma nota negativa: Diego Souza acabou expulso de campo. Mas o Palmeiras foi campeão.

Resta saber se a dupla Diego Souza e Valdivia será reeditada. E, se for, o que poderá fazer pelo Palmeiras em um momento mais delicado do que há seis anos.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.