Levir tenta fechar o grupo, dando mais liberdade ao elenco do Galo

Getty Images

O técnico Levir Culpi resolveu dar um voto de confiança aos seus comandados, abolindo a concentração nos dias que antecedem os jogos do Atlético-MG, que forem realizados em Belo Horizonte. E disse que caso a medida não dê certo, ele pedirá para sair. Os jogadores fizeram o treino neste sábado, em preparação para o jogo contra o xará paranaense e voltaram para casa. A reapresentação dos jogadores Galo fica marcada para as 11 horas do domingo, o jogo contra o Furacão está marcado para as 18:30.

Os jogadores brasileiros são conhecidos por não gostar do sistema de concentração e não é de hoje. Garrincha fugiu da concentração em uma excursão do Botafogo pela Suécia em 1959. A escapada do craque gerou Ulf Lindberg Henrik. Ruy Castro, autor da biografia “Estrela Solitária” narra em seu livro a aventura vivida por um dos mais habilidosos jogadores da história do futebol mundial. Que driblou inclusive os pais da moça, eles assistiam TV na sala, enquanto Garrincha partia pro ataque, no quarto da moça.

Leia mais:
Ronaldinho agradece torcida soltando um palavrão
Top 5: golaços do Ronaldinho Gaúcho no Galo

E como falar de fugas das concentrações sem citar ele, o baixinho Romário. Craque com a bola nos pés e um mestre na arte de fugir do confinamento. Romário sempre deixou claro que odiava concentrações. Em uma entrevista concedida ao jornalista Cosme Rimoli, em 2011, o jogador afirmou, “eu treinava muito bem a tarde, não gostava de acordar cedo só isso”.

Muitos profissionais da bola não concordam com o ‘voto de confiança’ – como o treinador chamou a decisão de abolir as concentrações– dado por Culpi aos seus jogadores. O diretor de futebol Atleticano, Eduardo Maluf foi contra. Para outros este tipo de isolamento não faz nenhum sentido nos dias de hoje.

Não concentrar pode gerar polêmica, mas um sistema com mais liberdade e a troca de responsabilidades pode produzir bons resultados, na Europa muitos times já aboliram a prática. Por aqui alguns times já adotaram a mesma medida, casos de Inter, Coritiba e Botafogo.

Penso que para os jogadores fará muita diferença, lembrando que no grupo do Atlético-MG a maior parte do elenco é casada, não há nada melhor que ir trabalhar após uma bela noite de sono ao lado da esposa e com os votos de bom dia dos filhos. Levir certamente sabe disso e está tentando ganhar de vez a confiança de seus atletas, oferecendo a eles o que pode, para ver com quem pode contar.

De Burro com Sorte – título de seu livro – ele não tem é nada.