“Nem tudo o que se fala no futebol é verdade”, diz Valdívia

Valdívia voltou. Voltou e convocou a imprensa pra uma coletiva que durou mais de uma hora, na Academia de futebol do Palmeiras. O Mago falou sobre o sumiço, o contrato com os árabes, viagem à Disney, o retorno ao clube e muitas outras polêmicas. Confira os principais trechos da entrevista do chileno.

Leia mais:
Palmeiras usa estratégia criativa e inovadora para gerar receita
Willian José não vai resolver problemas do Palmeiras
Wendel completa 200 jogos com a camisa do Palmeiras

VENDA PARA O AL-FUJAIRAH

“Viajei na quarta-feira de madrugada. Fui recebido por torcedores, dirigentes do clube e imprensa. Fui levado até a cidade da equipe, fui recebido na sala do sheik. Ele subiu a foto no facebook dele falando que estava apresentando o novo camisa 10 do clube.

Tem vínculo, sim. Fiquei lá e fiz exames médicos. A gente esperou o dia da assinatura do contrato. Foi aceito o meu pedido de 10 dias de férias. O clube disse que não teria problema e era só apresentar para a pré-temporada no dia 5, na Alemanha. Até então estava tudo certo. Eu tinha de voltar no domingo.

Não assinamos o contrato, infelizmente, porque era Ramadã. É algo totalmente diferente de nós. O que foi passado para as pessoas do meu lado que não teria problema e era só apresentar no dia 5, na Alemanha. Quando fui para o Al-Ain, foi a mesma coisa. Fui vendido, aceitei os valores e assinei um documento em que dizia isso. Tudo o que foi feito na primeira transferência foi realizado nesta. Agora estava igual.”

 

FÉRIAS

“Peguei os dias de férias do meu suposto novo clube. Quando voltei fiquei sabendo que tinha sido cancelado. O motivo desse cancelamento era que eu não tinha acertado os valores, o que é mentira. Tem documento com carimbo e assinatura do clube, do sheik. Fiquei muito surpreso na minha volta ao Chile, porque na minha cabeça estava tudo certo.

(…) Não era jogador do Palmeiras. Era jogador do Al Fujairah. Eles mostraram ao mundo que me contrataram. Levaram torcida, imprensa no aeroporto. Cheguei em Dubai 0h, e no hotel 4h da manhã. Fui apresentado ao sheik, diretor, presidente, jogadores, e fui dormir 4h ou 5h da manhã. Concordamos em me liberar 10 dias para férias, porque depois da Copa não tive.”

 

SUMIÇO

“Eu não sumi. Estava na Disney, com a minha família. Se tivesse sumido, a minha mulher não postaria fotos. Antes de ir a Dubai, tuitei que não jogaria mais pela seleção. Na minha volta de Dubai para o Chile, não tenho telefone chileno, só do Brasil. Na volta, num domingo, passei aqui e fui embora. Deixei avisado com quem trabalha comigo para bloquear meus números, para tirar as crianças da escola.”

 

SAÍDA DO PALMEIRAS

“Nem quando a Copa acabou pensava em sair do Palmeiras, nem agora. A torcida e vocês têm de saber que o Palmeiras sempre foi claro em dizer que não há jogador inegociável. Se chegar uma proposta, o clube vai analisar primeiro. Depois, vão falar comigo. Mas minha cabeça é a mesma. A mesma motivação e já falei com o treinador ontem, quando voltei a treinar. Não tem essa de ficar pensando.

(…) Claro que penso no que aconteceu, mas voltar desmotivado não. Muito pelo contrário. Sempre digo que devo muito a esse clube. A história mais bonita da minha carreira foi aqui. Vou continuar honrando e respeitando a camisa do Palmeiras.”

 

MOTIVO DO ACORDO TER SIDO DESFEITO

“O Palmeiras assinou a venda, o Al Fujairah assinou que compra o jogador, e eu assinei que aceito tudo. Tem carimbo do clube, do sheik, enfim, tudo certo. A única coisa que não estava acordada são os termos de pagamento: luva, adiantamento… Mas valores econômicos, que é o motivo apontado por eles para o negócio cancelar, não. O documento que o Palmeiras tem mostra o contrário. O Brunoro acredita no que expliquei a eles anteontem, que de fato aconteceu.

(…) O Palmeiras está há um bom tempo tentando se comunicar com o Al Fujairah. O que se vive lá é diferente do nosso comum, ainda mais com Ramadã. Da primeira vez que fui foi igual: Palmeiras aceitou valores, assinamos documento aceitando tudo, mas faltava exame médico e assinatura do contrato. Desta vez também fiz exames médicos. A pergunta é difícil responder: o que aconteceu. O Palmeiras assinou documento de transferência. Tanto é que não treinei mais no Palmeiras. Segunda, terça e quarta não me viram mais aqui. Já era jogador do Al Fujairah. É difícil responder o que aconteceu realmente.

 

POLÊMICAS

“Falam que não vou para o treino, mas muitos não vêm e vocês não olham. “Ah, ele chegou no departamento médico 9h40″, mas outros também. Mas chama atenção porque sou mais polêmico e venho para falar a verdade. Não digo nada para agradar. Sou sincero. Quando aconteceu o problema da minha mulher pedi desculpas. Direito diferente eu não tenho. Mas quando eu faço parece que é diferente.

(…) Como tive muitos problemas aqui, com lesão, sequestro, e que acharam estranho eu ter ido embora, já vira polêmica. Teve a agressão na Argentina (Libertadores de 2013). Qualquer lugar do mundo isso é imperdoável. Não vi acontecer algo diferente. Se o Paulo (Nobre, presidente) vetou coisas das organizadas, é normal, o Cruzeiro também fez.”

 

REGALIAS NO PALMEIRAS

“Meus direitos são iguais. Tenho a mesma vaga no estacionamento. É sério. A minha vaga é do lado do Juninho. É sério. O café da manhã é o mesmo. Quando o Palmeiras paga o salário é no mesmo dia. Não sei quantas camisas vendem com o meu nome. Meu horário e dos outros é 9h30. Quando tem coletiva venho contra a minha vontade. Essa não, eu que pedi. Mas direitos são os mesmos.”

 

VAMPETA DISSE QUE MUITOS ESTRANGEIROS JUNTOS PODE DAR PROBLEMA

“Acho que foi de brincadeira. Não tenho nada a dizer sobre isso. É falado no futebol isso, mas nem tudo que é dito no futebol é verdade. É uma opinião dele, tem de ser respeitada, mas discordo. Cada um sabe o que diz.”

 

VOLTA AOS GRAMADOS

“Já conversei com a comissão técnica e montaram um planejamento. Começamos treinamentos em dois períodos e vamos acelerar o máximo possível. Mas a minha vontade é recuperar os dias que fiquei sem treinar, desde o sábado do jogo-treino contra o Red Bull. Agora, iria mais atrapalhar.

(…) Por mim, ontem (estaria pronto para jogar). Mas neste momento iria mais atrapalhar do que ajudar. Neste momento, e em todos, tem de respeitar meus companheiros. Quando fui perguntado se devo jogar com algum ou outro atleta, disse que todos merecem atuar. O técnico decide. E há jogadores atuando e se doando pelo time.”

 

DISPUTA POR POSIÇÃO

“A pergunta é difícil responder: o que aconteceu. O Palmeiras assinou documento de transferência. Tanto é que não treinei mais no Palmeiras. Segunda, terça e quarta não me viram mais aqui. Já era jogador do Al Fujairah. É difícil responder o que aconteceu realmente.”

 

NOVA ARENA

“Totalmente diferente. Quando era o antigo Palestra, o time que vinha jogar contra nós sentia pressão e diferença, já quando entra na (Avenida) Francisco Matarazzo. Tem muito torcedor palmeirense na região. E vai ser muito diferente. Espero que a Arena fique pronta logo e nos traga alegrias, felicidades e muitas vitórias.”

 



Jornalista esportivo na RedeTV!, conectado com futebol, MMA e esportes em geral.