Opinião: Hamilton nunca mereceu tanto ser campeão mundial

Getty Images

O inglês Lewis Hamilton só conseguiu tomar a liderança do Mundial de Pilotos na Fórmula 1 de seu companheiro Nico Rosberg apenas uma vez nesta temporada. O piloto da Mercedes terminou o GP da Espanha com 100 pontos, três a mais que o alemão. Rosberg ficou na frente praticamente toda o campeonato até agora. Mas é Hamilton quem mostra merecer mais o título.

Na verdade, não considero apenas que Hamilton mereça mais que Rosberg. Acho que ele merece mais do que já mereceu no passado, inclusive o título mundial de 2008, vencido com muitos méritos próprios e da McLaren, claro, mas com uma ajuda crucial das trapalhadas da Ferrari com Felipe Massa, que acabou vice-campeão apenas um ponto atrás na tabela de classificação.

LEIA MAIS
Acredite: Rubinho teve vários momentos de glória; relembre
Opinião: Bottas é um ótimo nome para a McLaren em 2015
Hamilton afirma que foi contratado apenas para correr

Hamilton este ano já deu mostras suficientes de que vive algo como seu auge como piloto. Está mais maduro, erra menos do que nos tempos de McLaren, quando acabou jogando fora a chance de ser campeão mundial logo em sua primeira temporada como piloto de Fórmula 1 e parece lidar melhor com uma disputa interna na equipe. O inglês trava uma batalha com Rosberg, mas não chega nem perto da guerra com Fernando Alonso no time de Ron Dennis.

O GP do Bahrein, uma das melhores corridas dos tempos mais recentes na Fórmula 1, foi uma das demonstrações do talento de Lewis Hamilton. Segurou Rosberg toda a parte final da prova com pneus duros, enquanto o companheiro vinha com os compostos macios. Na ocasião, eu disse no Papo de Velocidade que Hamilton pilotou como um gênio.

Mas não parou por aí. Problemas nos treinos classificatórios fizeram Hamilton largar na parte final do grid nas duas últimas corridas. Sem se afobar, se aproveitando da superioridade da Mercedes nesta temporada, o piloto inglês teve a frieza necessária para deixar os concorrentes para trás e chegar em terceiro nas duas provas.

O caso do GP da Hungria é ainda mais enfático. Largou dos boxes e chegou à frente de Rosberg, que havia feito a pole position. Contou com uma ajudinha da chuva que bagunçou a corrida, diriam os mais críticos. Mas um grande campeão é assim, conta com todos as possibilidades para chegar à vitória.

A briga na Mercedes pelo título mundial ainda promete muito, mas a diferença de apenas 11 pontos a favor de Rosberg, que só não pontuou até agora em uma corrida, parece nada para a força de Hamilton rumo ao bi. O inglês não pontuou em duas ocasiões e ainda tem uma vitória a mais. Se cuida, Rosberg.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.