Pato se mantém no time titular do São Paulo. Agora vai?

Mais uma vez Alexandre Pato terá a sua chance de se firmar no time titular do São Paulo. O atacante terá o seu jogo seguido como titular nesse domingo diante da equipe baiana.

LEIA MAIS
Adriano e Pato: Caminhos distintos, porém mesmo destino?
Defesa do São Paulo está em baixa, e agora com menos um para ajudar

Pato conquistou a sua vaga na equipe titular a partir do jogo contra o Bragantino pela Copa do Brasil. Desde então disputou a partida contra o Criciúma como titular, mas apesar de boa movimentação e chutes ao gol não teve uma atuação que o colocasse em destaque. Diante do Vitória será mais uma chance de se firmar. Será mais uma das partidas teoricamente fáceis em casa, mas que o São Paulo precisará de bastante entrega, movimentação e jogadas de craques que decidam o jogo.

Desde que chegou no Morumbi, Pato apenas jogou bem nos primeiro jogos do Campeonato Brasileiro e os dois primeiro jogos da Copa do Brasil contra o CRB. Depois disso o seu rendimento caiu drasticamente, colocando-o entre os terceiros reservas do ataque, atrás de Ademilson, Osvaldo e até o jovem Ewandro. Não mostrava interesse em futebol, dava entrevistas sem nexo algum, voltava a ser o modelo Alexandre Pato e não o jogador revelado pelo Inter em 2006 e vendido para o Milan como uma grande promessa.

Mas Pato parece que recebeu um chacoalho de alguém importante dentro do São Paulo, que o fez ‘acordar’ pra vida e pensar em jogar mais bola do que aparecer na mídia. Voltou a correr, a batalhar, a tentar jogadas apesar de não ter muita habilidade e intimidade com a redonda. E diante do Vitória mais uma vez espero o camisa 11 com vontade. O camisa 11 que já foi considerado e cotado como centroavante da seleção brasileira, e não aquele modelo que entra pisando em ovos, sem interesse algum.

Junto de Alexandre, veremos um time que já conhecemos, apenas com a volta de Antônio Carlos no lugar de Rodrigo Caio que está fora para o resto da temporada e a volta de Kaká no meio no lugar do Maicon. O time terá mais velocidade na saída de bola, os passes serão realizados com mais rapidez, diferentemente do que acontece quando Maicon está ali armando e penteando a bola 853 vezes por jogada.

O time deve ser Rogério Ceni; Douglas, Rafael Tolói, Antônio Carlos e Álvaro Pereira; Denilson e Souza, Kaká e Ganso; mais na frente Alexandre Pato e Alan Kardec.

Promessa de Morumbi mais uma vez cheio e de um jogo difícil como os outros dois, mas desta vez existe um porém. Kaká jogará. ‘Ah Léo, mas ele é tudo isso?’ Olha, não pode ser tudo isso, mas vimos contra o Goiás o que eu tanto falava antes da estréia dele. As responsabilidades serão divididas com o Ganso. Vimos no último jogo que com um passe, com um toque só, o Paulo Henrique coloca o atacante cara a cara para marcar. Então se ele se isolar, puxar um ou mais marcadores para fora da intermediária ou até mesmo da área, abrirá espaço para Kaká avançar com a bola dominada ou armar jogadas com um espaço maior. E caso necessite de um passe do nosso camisa 10, ele pode inverter as funções.

Por enquanto é isso pessoal, é torcer e muito pois precisamos, e caso você for no Morumbi no domingo as 18h30 nós encontramos lá fora nos arredores ou na Arquibancada Vermelha! AVANTE MEU TRICOLOR!

Um grande abraço e um ótimo final de semana para todos!

Foto: Getty Images



Jovem estudante de jornalismo, com quase 20 anos de vida e todos eles amando o futebol. Escrevo com a razão se sobrepondo sobre a emoção mas não deixo essa esquecida. Gosto de qualquer outro esporte que esse mundo possa nos apresentar, e procuro conhecer as suas regras primárias. Exponho as minhas opiniões sobre diversos assuntos e espero ajudar no entendimen