Petros diz a rádio que não teve intensão de agredir o arbitro

Petros

Em entrevista para a rádio Esportes Bradesco FM, Petros negou que teve a intenção de agredir o arbitro Raphael Claus no clássico entre Corinthians e Santos no último domingo. Ele afirma que houve o contato sim, mas que já conversou com o juiz.

LEIA MAIS

Petros dá empurrão em juiz no jogo do Corinthians; veja
Corinthians quebra tabu e vence Santos na estreia de Robinho; veja o gol

“Existiu sim o choque comigo e com o Claus e a gente já conversou no lance seguinte, ele percebeu que houve a trombada, mas foi uma coisa normal. Não adianta analisar a imagem, só na hora do encontrão, porque claro que eu empurro ele nas costas, porque a gente vai trombar e ele é muito mais alto do que eu, e eu ia me machucar.”

O marcador corintiano afirma que se o próprio arbitro tivesse sentido alguma intensão, que poderia expulsá-lo. O que não ocorreu.

“Eu estava indo em velocidade em direção a ele e existiu sim (o choque). Só que o arbitro tem total direito de… se tratando da maneira disciplinar do jogo, ele tem total direito sobre a partida e ele poderia, se ele tivesse visto alguma coisa de errado, algum tipo de tentativa minha (de agressão), podia ter me expulsado, ter tomado alguma atitude, ter me repreendido de alguma forma”, disse o volante.

Ele ainda lamenta que algumas pessoas tenham dito que ele agrediu o Raphael Claus e ainda pergunta o motivo pelo qual ele atingiria o juiz. ” É uma pena algumas pessoas estarem falando em agressão e de eu ter tentado dar um murro. Por que eu daria um murro no Raphael? Por que eu tentaria agredir o juiz, se ele é autoridade máxima?, interrogou o camisa 40 do Corinthians.

Um pouco antes de Petros entrar no ar pelo telefone, o Sr. Paulo Schmidt, procurador do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), também havia falado na rádio e afirmou que o volante irá sim ser denunciado.

” Sem duvida né?! (que a punição vai existir). Uma agressão por trás. Agressão,encontrão, não importa o que for, mas foi um contato físico intenso por trás, deliberado, consciente, covarde e sólido”, falou Schmidt.

O jogador do Corinthians ouviu as palavras do procurador e preferiu não polemizar. ” Estou tranquilo, estou tranquilo, eu não vou responder porque não vale a pena a gente vai aguardar denunciarem para que o jurídico do clube possa tomar as decisões devidas e cabíveis”, finalizou o volante

O arbitro Raphael Claus não anotou o incidente na sumula, porém se Petros for denunciado, poderá pegar no mínimo 180 dias de suspensão.

 



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.