Entenda os problemas táticos do Vasco da Gama

Vasco

Apesar de estar a um ponto de fazer parte do G4 da Série B e de ainda ter uma partida a menos do que os seus principais concorrentes, a pergunta que fica é a seguinte: por que o Vasco ainda não engatou?

Os resultados dentro de campo têm aparecidos, afinal de contas o Vasco está em 5º lugar, com apenas uma derrota (é o que menos perdeu) e possuindo a melhor defesa da competição (levou apenas nove gols em quatorze partidas), mas não é só isso que espera a torcida cruzmaltina. O time não rende com frequência o nível esperado, sobretudo quando se pensa na Copa do Brasil. É preciso fazer mais, porque se quer mais.

LEIA TAMBÉM
Eleições no Vasco atrapalham despedida de Juninho

A explicação para essa dicotomia certamente se deve aos problemas políticos e financeiros que, indubitavelmente, entram no gramado com a equipe. Contudo, problemas extra-campo até o líder da Série A possui, o que nos leva a crer que as razões disso também estejam dentro do campo.

Problemas de ocupação de espaço

Um primeiro ponto que fica claro é a dificuldade que o Vasco tem de entrar na área do adversário.O retrato disso é inegável pela imagem abaixo, na qual a zona de movimentação da equipe quase não apresenta manchas avermelhadas na área do ABC.

Mapa de calor

Inicialmente podemos acreditar que o problema foi apenas neste duelo, em que o Vasco visivelmente não jogou bem. Entretanto, uma análise neste sentido é equivocada, pois o problema persiste até em partidas em as coisas fluem melhores.

Na imagem abaixo, é possível ver a movimentação da equipe contra a o Santa Cruz que foi vencido por 4 a 1. Repare que, além do excesso de jogadas pelo lado esquerdo, o Vasco quase não está presente no área do time pernambucano.

Mapa de calor

Contra o anta Cruz, a dupla de ataque foi formada por Kléber e Thales, mas os gols saíram de Fabrício (2), Douglas Silva (1) e Kléber (1, em cobrança de pênalti). Diante do ABC, por sua vez, o ataque ficou por conta de L. Crispin e do Gladiador, já que Thalles está servindo a seleção brasileira sub-20 e, embora os gols tenham contado com boa participação deles (Kléber marcou após jogada de L.Crispin e Douglas ampliou em cobrança de pênalti), o mesmo problema também se fez presente.

É óbvio que não é só isso que tem impedido o Vasco de deslanchar. A falta de qualidade técnica em alguns jogos também tem grandes responsabilidade, porém, o time precisa ser mais incisivo e agredir o adversário em seu campo de defesa. É preciso entrar na área do adversário.

Entre o líder e o meio da tabela, o Vasco fica com o segundo

O Cruzeiro, por exemplo, que lidera a primeira divisão faz isso e, é claro que não só por isso, tem conseguido se dar bem. Veja abaixo:

Mapa de calor

A ocupação dos espaços no gramado da Raposa é muito maior e melhor do que a do Cruzmaltino. A imagem acima retrata a partida em que o time de Marcelo Oliveira empatou por 0 a 0 contra o Criciúma, em Santa Catarina. Mesmo sem jogar bem, o Cruzeiro faz o que o Vasco não faz: invade a área do adversário. Do que jeito que joga, o Vasco está mais parecido com o time catarinense (12º colocado do Brasileirão), do que com o mineiro (líder da competição), conforme podemos ver abaixo em relação a movimentação do Tigre contra o Celeste:

Mapa de calor

Fonte dos mapas: Footstats.net

Foto: Getty Images