Robinho estreia bem em derrota do Santos para o Corinthians

Quando Robinho entrou em campo hoje contra o Corinthians neste clássico que é jogado há 101 anos, o mínimo que estava acontecendo era a mudança na motivação dos dois times. O Simples. O Corinthians, em melhor fase não podia perder um jogo em que era favorito já. E o Santos vazava moral de tão cheio dela.

Com 11 minutos Robinho deu uma caneta em Ralf. A cara dele Em seguida Guerrero levou entrada de Alison. O tempo esquentou. Eram 15 minutos de jogo, dois cartões amarelos e 10 faltas. A cara de um jogo tenso, mas muito bom de ver pelo ânimo dos dois times. Tudo por causa de Robinho, claro que sim.

E o primeiro tempo foi assim. Poucos lances em que poderia sair um gol. Chutes errados na hora boa, hoje muito comum e rodinha de bate boca. Muitas. O jogo tava pegado? Não mais nervoso do que pegado. Como disse acima, bom de ver.

Apenas um senão. Petros pelo Corinthians e Alison pelo Santos precisam de uma conversa com seus treinadores. Estão jogando alguns pontos acima no quesito força. Parece normal, mas beira o anormal. Marcação forte é uma coisa, babar no adversário é coisa de cachorro louco. Devem ser observados.

Eles não estão jogando futebol. Os dois colocaram em risco seus adversários e deram mau exemplo aos seus companheiros. O jogo descambou e o Alison tomou um vermelho pelo conjunto da obra. Ele merece um exame, não estava normal. E meu parceiro Mauro Naves disse: “Esse Petros tava tão pilhado que ouviu desaforo dos torcedores e saiu do túnel para responder”. Olho nele, olho nele.

Com tantos jogadores bons em campo, nos dois times, eu gostei, mas esperava mais. Com 8 minutos do segundo tempo Robinho roubou uma bola dentro da área do timão e chutou pra fazer o gol. Ele errou ao chutar mal e também por que não viu Leandro Damião sozinho pra fazer o gol. Mas Robinho era o melhor jogador do jogo, já neste momento.

Aí Oswaldo tirou Leandro Damião e deixou Robinho sozinho na frente. Fez errado, mas no contra ataque o peixe levava muito perigo. Alan Santos perdeu a bola do jogo chutando forte uma bola na entrada da área quando deveria colocar tirar do goleiro e dos zagueiros.

O Corinthians pressionava um homem a mais. Pergunta: Como Jadson pode jogar tão pouco num clássico pra se consagrar? Foi substituído, claro.

Aos 35 Robinho foi substituído por Geovânio. Saiu aplaudido por que não pipocou, foi contratado e jogou dois dias depois, por que é ídolo e sabe que tem que dar exemplo. E deu.

Aos 39 Gil botou o Corinhtians na frente, de cabeça, em jogada de escanteio. Um castigo. O Santos jogou mais que o Corinthians e vai dar trabalho no campeonato.

Foto: Getty Images



Luiz Ceará é formado em Jornalismo pela PUCC-Campinas. Iniciou a carreira na Radio Cultura de Campinas e depois EPTV, filiada à Rede Globo. Trabalhou na TV Globo - SP, SBT, TV Século 21, TV Bandeirantes e RedeTV!, onde é repórter e comentarista. Participou da cobertura de 4 Copas de 3 Olimpíadas.