Opinião: STJD prova que Sheik não estava errado ao chamar CBF de “vergonha”

Getty Images

O atacante do Botafogo, Emerson Sheik, foi julgado nesta segunda-feira (29) pela expulsão no jogo contra o Bahia pelo Campeonato Brasileiro. No julgamento, o atacante se defendia das acusações de ofensa ao arbitro da partida, jogada violenta e agir contra a ética do desporto.

Esta última se deveu ao fato de Emerson ter protestado contra a CBF por sua expulsão. “CBF você é uma vergonha”, disse Sheik às câmeras de televisão.

Pois analisando a conduta da CBF e, na mesma linha, a do STJD nas últimas edições do Campeonato Brasileiro, chegamos à conclusão de que talvez Sheik não tenha faltado com a ética do desporto. Para não ir muito longe, vamos relembrar o rebaixamento da Portuguesa por escalar um jogador de forma irregular. Os argumentos usados pelos consultores do STJD valeram para rebaixar o time paulista, mas não para tirar o título do Fluminense em 2010, quando também escalou um jogador de forma irregular.

Recentemente, o América-MG foi punido com a perda de 21 pontos por relacionar um jogador de forma irregular, fato que reacendeu a discussão. Esta semana o Cruzeiro fez uma consulta à CBF para saber a situação jurídica do lateral Breno Lopes, para então escalar ou não o jogador.

Em resposta à CBF, disse que poderia se manifestar, mas não por escrito sobre o assunto. E se o jogador for escalado de forma irregular, o Cruzeiro perderá os pontos, mesmo tendo feito a consulta? O STJD aceitaria este argumento do time celeste? Se todos os contratos de jogadores são registrados na CBF, o orgão não tem condições de impedir que um jogador entre em campo de forma irregular?

Outra notícia que a mim parece ser uma tentativa de resolver o campeonato por uma via alternativa ao campo é o da denúncia feita pela promotoria do STJD contra o fornecimento de bolas murcha pelo Cruzeiro na partida contra o Vitória. Ora bolas, quantas vezes já vimos bolas murchas em campo e isso nunca rendeu um processo? Por que logo agora?

Citando o imperador Romano Júlio César: ” A mulher de César não basta ser séria, deve mostrar-se séria”. A próposito, Emerson Sheik foi absolvido da acusação de agir contra a ética do desporto.



Jornalista, amante do futebol e do Cruzeiro. Editor do Jornal a Voz.