Bastidores da guerra entre Bernardinho e Federação Internacional de Vôlei

FIVB/Divulgação

Minutos após a derrota do Brasil na decisão do Mundial de Vôlei para a Polônia, neste domingo, Bernardinho deu uma entrevista para o Sportv detonando a FIVB (Federação Internacional de Vôlei). Reclamou de ‘atitudes baixas’ e outras coisas, como escalação de árbitros com os quais o Brasil teve problema na Liga Mundial.

O ataque de Bernardinho é diretamente para Ary Graça Filho, presidente da entidade máxima do vôlei mundial, e, curiosamente, ex-presidente da CBV. Os dois não se bicam há algum tempo. Quando conviveram juntos, até 2011, a relação já andava estremecida. Discussões e discordâncias nos mais variados pontos, como hotéis que a seleção ficaria hospedada em viagens e competições.

“Foram tantas coisas feias que é complicado. A Federação Internacional age de uma maneira baixa demais. Eu vi coisas acontecendo aqui… Escalação… No sentido de desestabilizar mesmo. Nada influenciou. Perdemos por que eles jogaram mais bola, jogaram inteligentemente. Perdemos a lucidez em alguns momentos. Mas são muitos golpes baixos”, disse Bernardinho, ao Sportv.

Segundo apuração do Torcedores.com, Ary Graça não gostou nada das críticas que recebeu. E prometeu a seus pares tomar medidas duras contra o técnico brasileiro. Ary, por exemplo, exigiu que Bernardinho seja julgado pelo Comitê Disciplinas da FIVB por supostamente ter mostrado o dedo médio para um jornalista polonês. Além disso, o comandante também faltou a entrevistas coletivas obrigatórias.

Ary já pediu que a organização disponibilize a ele o vídeo da entrevista de Bernardo. Não quer que o fato passe ileso. Assim como uma entrevista do levantador Bruninho, que, assim como o técnico (e pai), detona a Federação e fala que o presidente, embora seja brasileiro, não quer ver o Brasil ser campeão.

Em 2011, pelo jornal LANCE!, entrevistei Ary Graça e falei sobre este tema, já que dias antes o então presidente da entidade, Jizhong Wei, falou que não era interessante para o vôlei mundial o Brasil ganhar tudo. “Essa história da FIVB contra a gente acabou ali. Deu margem a uma reunião na sede da entidade e eu deixei claro: “O Brasil, então, não vai mais aos torneios e vocês arrumam outro time para ser campeão.” Eles pediram desculpa formalmente e encerramos o assunto. Não se pode mais montar tabela para nos prejudicar, como foi feito no Mundial da Itália. Ganha quem botar mais a bola no chão do time adversário’, falou.

Aguardemos os próximos capítulos. Mas, fato é: está declarada a guerra entre Bernardinho x Ary Graça/FIVB. E só quem tem a perder é o vôlei brasileiro.

Crédito da foto: FIVB/Divulgação



Jornalista formado pela Anhembi Morumbi, fissurado por esportes - especialmente os Olímpicos.