Confira as melhores participações do Brasil no Mundial de vôlei feminino

A seleção brasileira de vôlei feminino inicia nesta terça-feira na Itália sua caminhada em busca do inédito título do campeonato mundial da categoria, última conquista que falta à gloriosa história do esporte no país. A equipe, que venceu recentemente pela décima vez o Grand Prix e é a atual bicampeã olímpica, é apontada como uma das favoritas da competição. Confira agora as melhores participações do Brasil no Campeonato Mundial de vôlei feminino.

LEIA MAIS
Polônia vira, e Brasil perde o primeiro Mundial de Vôlei em 13 anos de Bernardinho
Opinião: Torcida da Polônia no vôlei dá uma lição ao Brasil do futebol

1994 – EM CASA, A PRIMEIRA MEDALHA

Enfrentando a seleção de Cuba, que viria a ser sua grande rival nos anos 90, o Brasil obteve em casa o seu melhor resultado até aquele momento na competição. O Brasil foi derrotado por 3 x 0 (15/2,15/10 e 15/5), diante de um público superior a 16.000 pessoas que lotaram o Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. Após eliminar a Rússia nas semifinais, as meninas comandadas pelo técnico Bernardinho não conseguiram fazer frente ao forte selecionado cubano, que venceu o mundial sem perder um único set. Iniciaram a partida decisiva pelo Brasil as jogadoras Ana Moser, Ida, Ana Paula, Hilma, Márcia Fu e Fernanda Venturini.

EM 2006, NOVAMENTE A PRATA

A cidade de Osaka, no Japão, foi palco da segunda participação do Brasil em uma decisão do campeonato mundial. Após derrotar a seleção de Sérvia e Montenegro, grande surpresa da competição, a equipe lutou muito contra a Rússia, chegando a estar a dois pontos de fechar o jogo. No final, porém, acabou sendo derrotada no tiebreak, com parciais de 15/25, 25/23, 25/18, 20/25 e 15/13. A equipe do técnico José Roberto Guimarães tinha como destaques as jogadoras Scheila, Jaqueline, Fabiana e Fabi. Da equipe de 1994, Fofão era a única remanescente.

2010: OUTRA VEZ, RÚSSIA

Após conquistar a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, a seleção brasileira vinha forte em busca do título inédito. A equipe chegou à final invicta, eliminando as anfitriãs japonesas nas semifinais, e superou os importantes desfalques das jogadoras Mari e Paula Pequeno (escolhida a melhor jogadora da olimpíada), ambas lesionadas. Do outro lado, novamente a Rússia, também invicta, que além da final do mundial anterior já havia conseguido uma vitória marcante sobre o Brasil nas semifinais da Olimpíada de 2004. Em quadra, cada seleção venceu dois sets com propriedade e o tiebreak permaneceu equilibrado até apontar 12 a 11 para as russas, que então conseguiram 3 pontos seguidos e fecharam o jogo por 3×2 (21/25, 25/17, 20/25, 25/14 e 15/11).

Das 14 participações brasileiras em mundiais (em 1952 e 1967 o país não esteve presente), estas foram as ocasiões em que figurou nas três primeiras colocações, obtendo a medalha de prata, melhor posição do Brasil até o momento na competição. Em 2014, a seleção entra mais uma vez como forte candidata na busca do título inédito.



Sempre gostei de escrever, desde pequeno. Talvez me comunique melhor por escrito do que ao vivo. Por muito tempo falei demais, por isso nos últimos anos tenho falado de menos. Já tive minhas verdades absolutas até perceber que vivemos aprendendo. Sou grato a Deus por ter conhecido uma pessoa que topou dividir seus dias comigo.