Luis Fabiano é uma uma peça de reposição de luxo

luis fabiano
Luís Fabiano - Bad Boys

Foram apenas 76 minutos em campo, após 87 dias longes dos gramados. Sem ritmo de jogo e participando de duas atuações ruins no ponto de vista coletivo, Luis Fabiano não pôde usufruir da boa fase vivida pela equipe até duas rodadas atrás.

LEIA MAIS
Jornalistas discutem ao falar de Luis Fabiano em programa de TV

Em seu retorno recente após a lesão contra o Orlando City, no amistoso ainda em período de Copa do Mundo, o Fabuloso viu muitas coisas mudarem: A posição na tabela, o estilo de jogo na equipe e, principalmente, a necessidade de velocidade na transição desse novo “molde” da equipe. Algo que definitivamente o deixa de fora dos 11 iniciais

É indiscutível e inquestionável a capacidade do camisa 9 em fazer gols, por mais que parte da torcida ainda o coloque como artilheiro dos chamados “gols inúteis”, em partidas já decididas. Particularmente, discordo, mas isso não vem ao caso.

O que vem sim, e muito, ao caso é o fato de que, aos 32 anos, Luis Fabiano está longe de ser aquele atacante das arrancadas que o trouxeram da Ponte Preta ao São Paulo. Não que isso seja ruim, mas no momento não é o suficiente.

Para ganhar de zagueiros mais “troncudos” na velocidade, ele ainda tem muita explosão física e disposição, mas não é exatamente aí que mora a questão. É na construção das jogadas, no caminho até ela chegar em condições para os atacantes com a qualidade necessária.

Kardec e Pato, mesmo jogando mais a frente, já entenderam a questão do jogo coletivo e se mostram bem eficientes na questão de sair mais dos arredores da área para terem melhores condições de finalizarem. Além de se mostrarem mais “soltos”, eles também já tem bom entrosamento, o que dá ainda mais cara a equipe. E, automaticamente, faz Fabuloso ter cada vez menos chances de titular.

É uma peça muito importante e decisiva, sempre mostrou isso. Mas hoje terá que ser considerada sim uma reposição de luxo.

Foto: Getty Images



Jornalista formado em 2012 pela FIAM e que tem paixão por esportes, destacando-se Futebol, MMA, Basquete e Automobilismo. Foi editor e repórter do Universo dos Sports.