Meninas do Brasil começam luta por título inédito no Mundial de Vôlei

Mundial de Vôlei
Foto: Divulgação/FIVB

A seleção brasileira feminina começa nesta terça-feira (23) a luta pelo título inédito do Mundial de Vôlei. Atuais bicampeãs olímpicas, as meninas do Brasil sofreram nas duas últimas edições da competição com o trauma de derrotas para a Rússia na grande final. O time comandado por José Roberto Guimarães, desta vez, é o maior favorito ao troféu.

LEIA MAIS
Opinião: Torcida da Polônia no vôlei dá uma lição ao Brasil do futebol

A competição, que será disputada na Itália entre os dias 23 de setembro e 12 de outubro, reúne 24 países em busca do título que só perde em importância para os Jogos Olímpicos. O Brasil está no Grupo B, ao lado de Canadá, Camarões, Sérvia, Turquia, e a Bulgária, adversária na estreia, nesta terça, às 15h (horário de Brasília). A partida será transmitida ao vivo pelo SporTV.

Nesta primeira fase, os seis times jogam entre si. Os resultados são importantes não apenas para que os países fiquem entre os quatro mais bem colocados que garantem vaga na fase seguinte, mas também porque alguns deles vão contar na segunda etapa do Mundial.

Na segunda fase, os 16 classificados se dividem em dois grupos de oito times. Os países que já se enfrentaram na etapa anterior não voltam a jogar, e por isso é que os resultados da primeira fase voltam a contar pontos desde o início.

Três times de cada um desses grupos avançar para a terceira fase, onde se dividem em dois triangulares. Após jogos entre si, os dois melhores dessa etapa passam para a semifinal, disputada em mata-mata.

A Rússia, atual bicampeã, é também a maior vencedora da história do Mundial de Vôlei, com sete medalhas de ouro, duas de prata e quatro de bronze. O Japão vem logo na sequência, com três títulos, empatado com Cuba, mas com mais medalhas de prata (3 x 1). O Brasil é apenas o sexto no quadro de medalhas da competição, com as três pratas conquistadas.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.