Polônia vira, e Brasil perde o primeiro Mundial de Vôlei em 13 anos de Bernardinho

O reinado absoluto do Brasil no Mundial de Vôlei acabou neste domingo (21). Depois de três títulos consecutivos, a seleção masculina foi derrotada pela Polônia por 3 sets a 1, com parciais de 25-18, 22-25, 23-25 e 22-25. Os poloneses conquistaram o segundo título na história da competição e colocaram ponto final em jejum que já durava 40 anos, desde a última medalha de ouro no Mundial do México, em 1974.

LEIA MAIS
Opinião: Torcida da Polônia no vôlei dá uma lição ao Brasil do futebol

Em 2014, a Polônia voltou a uma final de Mundial oito anos depois de perder para o mesmo Brasil na competição disputada no Japão. Com dois títulos, os poloneses se igualam à República Tcheca, herdeira das medalhas da antiga Tchecoslováquia. Para chegar ao bi, a seleção polonesa contou com o impressionante apoio da torcida, que lotou ginásio e até um estádio de futebol ao longo de toda a campanha dos anfitriões.

O Brasil acumula mais um vice recente após a medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, quando perdeu de virada para a Rússia na final, em 2012. O técnico Bernardinho, porém, chegou este ano à incrível marca de quatro finais em quatro Mundiais disputados no comando da seleção brasileira masculina, pela qual também disputou a decisão das três olimpíadas que participou.

Após um começo arrasador, com boas atuações de todos os jogadores, a seleção brasileira fechou o primeiro set com relativa facilidade por 25 a 18. A partir daí, no entanto, a Polônia cresceu no jogo e não deixou o Brasil ditar mais o ritmo da partida. No segundo set, os poloneses resistiram a uma reação brasileira que reduziu uma grande vantagem e conseguiram fechar a parcial em 25 a 22.

Na terceira parcial, o Brasil não conseguiu em momento algum ser líder no placar, correndo atrás da Polônia, empatando constantemente a partida, mas sem virar uma bola no contra-ataque. Com isso, a Polônia controlou a partida e chegou aos 25-23.

O quarto set começou praticamente igual. Apesar de conseguir a dianteira no comecinho, o Brasil não resistiu à força polonesa e logo se viu em desvantagem. O bloqueio brasileiro, grande destaque da vitória sobre a França na semifinal, simplesmente não funcionava mais. Mário Jr. estava impressionantemente mal na partida, errando no passe e favorecendo o contra-ataque polonês.

O Brasil chegou a se recuperar no saque de Lipe, colocou três pontos na dianteira, mas voltou a repetir os erros e permitiu novo empate. Foi a senha para que a Polônia, para delírio de um ginásio inteiro, fechasse o jogo com um 25-22 e gritasse, 40 anos depois, que é campeã mundial de voleibol.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.