Baú da TV: Relembre a época que Luciano do Valle mudou o esporte brasileiro

Crédito da foto: Reprodução/ TV Bandeirantes

O esporte brasileiro é dividido em duas eras: antes e depois de Luciano do Valle. O narrador, que ocupava o prestigioso posto de número 1 das transmissões da Rede Globo e foi a principal voz da Copa do Mundo de 1982 no Brasil, deixou o cargo na maior emissora do país naquele mesmo ano para se aventurar nos negócios do esporte, criando a Luqui Promoação para investir em diversas modalidades.

O primeiro destino de Luciano do Valle após deixar a Globo foi a TV Record. Na época, a emissora tinha alcance praticamente restrito a São Paulo, jogava com a tradição de ser a emissora mais antiga ainda em atividade, mas não possuía nem parte da força que tem nos dias de hoje.

Na Record, Luciano do Valle não narrou futebol, já que essa modalidade era a especialidade de Silvio Luiz, que já estava na casa há algum tempo. O foco de Luciano era investir e divulgar novos esportes ainda sem muita popularidade no Brasil. Aproveitando o sucesso do vôlei no Mundial de 1982, quando os brasileiros levaram a medalha de prata, o narrador resolveu apostar no esporte por aqui.

A primeira demonstração de que Luciano não estava para brincadeira foi dada em 1983, quando o narrador organizou um amistoso de vôlei entre Brasil e União Soviética, os dois países que disputaram a final do mundial no ano anterior, para ser realizado no Maracanã. A ideia era monumental, fazer um jogo em um estádio de futebol para 100 mil pessoas.

Como ele mesmo citou na narração, muitos duvidaram da realização desse evento, que foi um enorme sucesso mesmo vencendo a chuva torrencial que caiu no Maracanã naquela noite. O Brasil venceu por 3 sets a 1 uma partida que fez explodir de vez o vôlei no país. Luciano já começava a operar suas mudanças. 31 anos depois, o voleibol brasileiro tem quatro medalhas de ouro olímpicas (duas no feminino e duas no masculino) e três títulos mundiais.

Após um período na Record, Luciano acertou sua mudança para a TV Bandeirantes, onde organizaria o “Show do Esporte”, que ele já havia lançado na emissora anterior, mas agora com mais espaço na programação.

Na Band, o narrador montou um time dos sonhos das transmissões esportivas. Levou como narradores Jota Júnior, Alexandre Santos, Edgard de Melo Filho e Osmar de Oliveira. Como comentaristas, um dos maiores especialistas em esportes olímpícos do Brasil, Alvaro José, acompanhado de Paulo Edson. Na reportagem, Roberto Cabrini, José Eduardo Savoia, Gilson Ribeiro e Elia Jr.

O Show do Esporte na Band começou no fim de 1983, e a emissora já se preparava para a transmissão das Olimpíadas de Los Angeles do ano seguinte. Luciano ainda seguia na Record à espera do fim de seu contrato, enquanto a equipe montada por ele já começava os trabalhos na nova casa.

O curioso é que, em 1984, Luciano do Valle voltou a narrar uma partida de futebol depois de praticamente dois anos de ausência por causa da divisão com Silvio Luiz na Record. Segundo o site Papo de Bola, o gol de um Flamengo 1 x 0 Palmeiras, abertura do Brasileirão daquele ano, foi o primeiro narrado por ele desde a final da Copa de 1982.

Depois da cobertura das Olimpíadas, uma espécie de teste definitivo para a vocação esportiva da emissora, Luciano do Valle transformou definitivamente a Bandeirantes no “canal do esporte”. O narrador se aventurou até como treinador da seleção brasileira de masters nos anos 80.

Partiu de Luciano do Valle também a divulgação de Adilson Rodrigues, o Maguila, como lutador de boxe. O pugilista virou parceiro da Luqui, que organizou lutas e transformou o brasileiro no principal lutador do continente. Apesar do fim da parceria, Maguila chegou a lutar contra George Foreman, quando foi derrotado. Essa transmissão acabou sendo feita pelo SBT, um ano depois do rompimento entre o pugilista e a empresa do narrador.

E Luciano do Valle não mudou apenas o esporte brasileiro, mas também a forma como o brasileiro via esporte. A Bandeirantes dessa época se assemelha em muitos pontos aos canais esportivos da televisão por assinatura que temos atualmente. Graças a iniciativas do narrador como chefe de esportes da emissora paulista, o público do Brasil teve o primeiro acesso às transmissões da NBA, conhecendo o melhor basquete do mundo nos tempos áureos de Magic Johnson, Michael Jordan e até Shaquille O’Neal.

O automobilismo, que teve Luciano do Valle como narrador da F1 nos tempos da Globo, também ganhou uma nova cara na Band com as transmissões da Fórmula Indy, que mais tarde viraria febre no Brasil após a morte de Ayrton Senna e consequente desinteresse do público com a categoria na qual o ídolo foi tricampeão.

Ajudaram a popularizar a Indy as presenças de Emerson Fittipaldi e Nelson Piquet. Fittipaldi era o responsável por negociar os direitos da categoria com as emissoras brasileiras, algo que ele continuou fazendo depois quando a Indy foi para a Manchete, SBT, Record e RedeTV!

Quando a Indy sofreu uma cisão, que acabou dividindo o automobilismo entre IRL e Cart, Luciano aproveitou para levar para a Band a categoria que ficou sem as principais equipes e pilotos. Mas ganhou o retorno das 500 milhas de Indianápolis para a emissora.

Em várias vertentes, no vôlei, basquete, boxe, automobilismo e até em partidas de sinuca, Luciano do Valle deu uma contribuição inestimável ao esporte brasileiro. O resultado é que hoje o povo deste país se acostumou a acompanhar várias modalidades pela televisão. Tradição inaugurada pela Band de Luciano.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.