Relembres as duplas de ataque que marcaram os anos 1990

Getty Images

Dizem que o futebol nos anos 90 era muito melhor do que hoje em dia. Declarações desse tipo parecem saudosismo e, embora sejam em parte, também possuem um fundo de verdade graças a algumas lendárias duplas de ataque que brilharam no período.

Quem não se lembra ou pelo menos já ouviu falar de Marques e Guilherme, no Atlético-MG? Não menos importantes também foram Paulo Nunes e Jardel, para o Grêmio, e o mesmo Paulo Nunes ao lado de Oséas, no Palmeiras. Edilson e Luizão, no Timão, também fizeram história, assim como Muller e Palhinha, no São Paulo, e Euller e Romário, no Vasco.

Como recordar é viver, segue abaixo os motivos que fizeram essas parcerias serem tão marcantes para o futebol brasileiro:

  • Palinha e Muller: Quantos clubes brasileiros já conquistaram o Mundial de Clubes? Certamente, a minoria e, pouquíssimos tiveram a honra de vencê-lo duas vezes. O São Paulo é uma dessas equipes e os títulos conquistados em 1992 e 1993 devem muito ao que Muller e Palinha fizeram nas Libertadores e nas finais do Mundial;
  • Paulo Nunes e Jardel: O que um rapaz loiro e baixinho tem em comum com um jogador alto e desengonçado? A torcida do Grêmio sabe muito bem essa reposta: gols, muitos gols. Pois foi dos pés e das cabeças dessa dupla que o Tricolor Gaúcho conquistou a América em 1995;
  • Donizete e Túlio: Em 1995, o Botafogo conquistou seu único Campeonato Brasileiro e Donizete e Túlio foram peças-chaves para esse feito. O fato de o segundo ter sido o artilheiro da competição naquele ano se deve e muito às jogadas do primeiro;
  • Edilson e Luizão: No final dos anos 1990, o Corinthians conseguiu conquistar o seu terceiro título no Brasileirão, além de um Paulista e de um Mundial de Clubes (2000), mas ao que se deve tantos troféus? A vários fatores, dentre os quais a dupla de ataque formada por Edilson e Luizão é um dos principais;
  • Marques e Guilherme: A torcida atleticana jamais esquecerá o ano de 1999. Na oportunidade, o time quase levou o segundo Brasileirão para casa, mas o que marca ainda mais esses fanáticos torcedores são as belas atuações de Marques e Guilherme no comando de ataque. Enquanto um era extremamente veloz e dava passes precisos, o segundo era eficiente e um artilheiro nato;
  • Edmundo e Evair: No Palmeiras, no início dos anos 1990, eles formaram um trio de ataque com Edilson que conquistou dois Campeonatos Brasileiros (Edilson não ganhou o Brasileirão de 1994) e dois Paulistas que estão marcados para sempre no coração Alviverde. Em 1997, Edmundo e Evair voltaram a se encontrar no Vasco e, com grande temporada do Animal, levaram o tricampeonato para São Januário;
  • Paulo Nunes e Oséas: A Libertadores conquistada pelo Palmeiras em 1999 teve muitos heróis, mas certamente Oséas e Paulo Nunes são alguns dos principais. O Diabo Loiro fez parceira com Oséas e, a exemplo do que ocorreu no Grêmio em 1995 com Jardel, obteve muitos frutos;
  • Euller e Romário: Formada no ano 2000, a dupla entre o Filho do Vento e o Rei da Área fez a imensa torcida vascaína muito feliz, sobretudo na lendária final da Copa Mercosul contra o Palmeiras, apelidada de a Virada do Século.

Crédito da foto: Getty Images