Vasco repete erros e empata pela décima vez na Série B

Vasco

Sampaio Corrêa e Vasco se enfrentaram diante de um bom público na Arena Castelão, nesta terça (23). Jogando em casa, o time do Maranhão saiu na frente com Edimar, mas viu Douglas empatar na final da primeira etapa e Douglas Silva virar no segundo tempo. Sem desistir, o Tricolor Maranhense foi para cima até os instantes finais e, aos 49 minutos, chegou ao empate com William Paulista.

Pimentinha faz Vasco arder no primeiro tempo

O Vasco adotou no primeiro tempo a famigerada Tática Caranguejo, na qual, como pode ser observado abaixo, o time concentra seu jogo no meio-campo, pois não consegue pressionar o adversário contra a sua meta já que não possui elementos humanos suficientes para isso.

Mapa de calor

Com apenas Kléber no comando de ataque, o Vasco precisava de velocidade para ameaçar o Sampaio Corrêa, mas não conseguiu imprimir isso com a frequência necessária. Com a exceção da chance desperdiçada por Maxi Rodríguez aos 8 minutos, no restante da etapa inicial, o Gigante da Colina foi lento e, embora tenha tido 54% de posse de bola e trocado 220 passes, conclui apenas três vezes ao gol do time maranhense (1 na direção do gol e 2 para fora).

A lentidão ofensiva também era identifica no sistema defensivo e, assim, o veloz Pimentinha infernizou a defesa vascaína. Porém, não foi de seus pés que saiu o gol do Tricolor do Maranhão, mas sim do zagueiro Edimar que, aos 32, se aproveitou de rebote de Martín Silva e abriu o marcador.

O Vasco chegou ao empate ainda na primeira etapa com Douglas que, cobrando com muita categoria pênalti sofrido por M. Rodríguez, igualou o placar aos 47 minutos do primeiro tempo.

Joel acerta ao soltar o time, mas erra ao prender e Vasco se dá mal

Para o segundo tempo, Joel Santana trocou o meia uruguaio pelo atacante Rafael Silva, mas a modificação não surtiu efeito. Ainda com apenas um jogador para dar velocidade ao ataque, o Vasco caiu de rendimento porque perdeu o principal responsável, tecnicamente, pelas suas jogadas ofensivas.

Do lado do Sampaio Corrêa, Pimentinha continuava a ser a única válvula de escape que, quando anulada, acabou com as esperanças do time. Assim, sem criatividade e ousadia de ambos os lados, a partida ficou bastante amarrada e foram quase trinta minutos sem chances de gol.

O equilíbrio foi rompido quando Joel Santana tirou Jhon Cley e colocou Lucas Crispim, abandonando a tão criticada formação com três volantes. Na primeira jogada do garoto revelado na Vila Belmiro, ele conseguiu um escanteio cobrado por Douglas que, após cruzamento de Fabrício, culminou no gol de Douglas Silva, aos 32 minutos.

A frente no placar, o Vasco recuou nos minutos finais para garantir a vitória, mas se deu mal. Chamando o Sampaio Corrêa para o seu campo, o Cruzmaltino não conseguiu superar a pressão e, aos 49, viu William Paulista, em rebote dado por M. Silva, decretar o décimo empate vascaíno no Brasileirão da Série B.

Embora estivesse com a vitória nas mãos, o Vasco em nenhum momento fez por merecer os três pontos. Com três finalizações na primeira etapa e duas na segunda, o Gigante da Colina não teve o controle do jogo e, muito menos, produziu jogadas ofensivas em volume superior ao do seu adversário, que arrematou quinze vezes, ou seja, o triplo de vezes.

Ficha técnica
SAMPAIO CORRÊA 2 X 2 VASCO

Data-Hora: 23/09/2014 – 21h50 (Brasília)
Local: Castelão (MA), em São Luis
Árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE)
Assistentes: Clovis Amaral da Silva (PE) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)
Gols: Edimar e Willian Paulista (SAMPAIO); Douglas e Douglas Silva (VASCO);

Escalações

SAMPAIO CORRÊA: Rodrigo Ramos; Tote, Edimar, Luis Otávio e Eloir; Marino (Cleitinho), Uillian Correia e Jonas; Pimentinha, Cascata (Válber) e Edgar (Willian Paulista). Técnico: Lisca

VASCO: Martín Silva; Diego Renan, Luan, Douglas Silva e Marlon; Guiñazu, Fabrício, Jhon Cley (Lucas Crispim), Douglas e Maxi Rodríguez (Rafael Silva); Kleber (Rafael Vaz). Técnico: Joel Santana.

Foto: Getty Images