Opinião do Torcedor: Cruzeiro não vai ser campeão da Copa do Brasil

Calma, torcedor cruzeirense. Não estou duvidando do potencial daquele que considero o melhor time do Brasil. Esse texto é para expressar minha contrariedade com a cultura do futebol brasileiro deste século: ganhou um título, está bom, não precisa ganhar mais nada. O Cruzeiro é um dos favoritos ao título da Copa do Brasil, mas como deve levar o Brasileirão, acredito que não vai faturar as duas competições.

O jogo de ida das quartas de final, no Mineirão, com um magro 1 a 0 sobre o ABC-RN, mostrou que o Cruzeiro já está jogando aquém de suas possibilidades na Copa do Brasil. No ano passado, quando também era o melhor time do país e nadou de braçadas para conquistar com antecedência o título brasileiro, o time mineiro acabou eliminado pelo Flamengo.

É do Cruzeiro, aliás, o último registro de clube que fez valer sua superioridade e venceu as duas competições no mesmo ano. Em 2003, o elenco comandado por Vanderlei Luxemburgo ganhou a Copa do Brasil, o Brasileirão, e ainda levou o Mineiro para formar a tríplice coroa. Desde então, nunca mais um time foi tão soberano no cenário nacional.

O futebol brasileiro, até pela fraqueza dos elencos e aperto do calendário, se acostumou a mirar em uma competição e desistir das outras. Os campeões recentes da Libertadores chegaram até a frequentar a zona do rebaixamento em meio à desordem que vira o pós-título, com toda aquela euforia.

O Palmeiras de 2012, que não era tão ruim quanto o atual, foi para a Série B também porque ficou dois meses só “curtindo” o título da Copa do Brasil.

Essa sensação de “dever cumprido” que os jogadores e clubes sentem após ganhar um campeonato contrasta em absoluto com o que vemos no futebol europeu. Não que isso represente superioridade deles, pois eu seria o último a defender argumentos nessa linha, mas se o Barcelona tiver superioridade absoluta sobre Real e Atlético de Madrid em uma temporada, ele vai procurar vencer o Espanhol, a Liga dos Campeões, Copa do Rei, e o que mais tiver pela frente. Como foi o Bayern de Munique em 2013, como foi o Barça de Guardiola.

Aqui, não. O Santos da Era Neymar praticamente não jogou o Brasileirão. Em 2010, era o campeão da Copa do Brasil e relaxou. Em 2011, campeão da Libertadores preocupado com o Mundial de Clubes, relaxou também. Em 2012, aí sim, o Peixe acabou prejudicado pelas inúmeras convocações de seu principal jogador em meio ao campeonato.

De qualquer forma, os outros brasileiros campeões da Libertadores, além dos vencedores da Copa do Brasil, mostram pouco ou nenhum entusiasmo com o Brasileirão. Idem para quem disputa o título nacional na reta final e acaba não se preocupando com outras competições.

Além do Cruzeiro de 2003, são exemplos louváveis o Internacional de 2006, campeão da Libertadores e vice-campeão brasileiro, e o Vasco de 2011, campeão da Copa do Brasil e vice-campeão brasileiro.

Mas, esse ano, aposto que a Raposa ficará com o Brasileirão mais uma vez, deixando a honra do outro torneio nacional para outra equipe. Candidatos não faltam, como mostraram neste meio de semana Santos e Corinthians.



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.