Veja alguns políticos que foram presidentes de times de futebol

Futebol e política são temas que frequentemente ficam entrelaçados, seja para o bem ou para o mal de ambos. Frequentemente, é comum ver pessoas, após ganhar certo destaque neste esporte, se candidatar a cargos públicos e ser eleitos. Tipicamente, isso ocorre mais vezes entre jogadores, mas até mesmos presidente de clubes usaram do seu poder para alcançar cargos eletivos.

LEIA MAIS:
Cansou das eleições? Veja o que vai ter de melhor no esporte durante a semana
Veja quem está na corrida para as eleições presidenciais do Corinthians

Ao longo da história, é comum identificar casos deste tipo e até mesmo um ex-presidente da República já foi Cartola. Fernando Collor de Mello, primeiro presidente eleito diretamente após o Regime Militar, comandou o CSA, de Alagoas na década de 1980 e trouxe Luiz Felipe Scolari para dirigir a equipe e conquistar o campeonato estadual.

Exemplos como os de Collor não param por aí e existem deputados, prefeitos e candidatos à presidência da República que já tiveram a experiência de comandar algum clube de futebol. Veja alguns casos de políticos que foram presidentes de times de futebol:

  • Andrés Sanchez (Corinthians): Presidiu o Corinthians entre 2007 a 2011, levando a equipe de um rebaixamento para a Série B ao título Brasileiros. Embora não tenha sido o presidente na conquista da Libertadores, boa parte do êxito se deve a estrutura por ele montada. Foi eleito Deputado Federal pelo Estado de São Paulo nas eleições de 5 de outubro de 2014.
  • Eurico Miranda (Vasco): Em 1990, Eurico decidiu se candidatar a deputado federal, apesar de já ter o cargo de vice-presidente do Vasco da Gama. Não conseguiu ser eleito, mas nas eleições de 1994 voltou a se candidatar e conseguiu ser eleito para deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro. Em 1998 foi novamente eleito, mas em 2001 foi pedida a cassação do seu mandato por efetuar uma operação de câmbio não autorizada. Eurico foi acusado de promover evasão de divisas do país.Apesar disso, Eurico voltou a concorrer nas eleições de 2002, porém não foi eleito, perdendo assim a imunidade parlamentar. No Vasco, ele comandou o clube entre 2001 a 2008, quando perdeu o cargo por suspeita de fraude.
  • Evandro Leitão (Ceará): Deputado Estadual eleito em 2014, Leitão reassumiu o Ceará após as afastar para campanha eleitoral e garante que seu mandato não o atrapalhará a comandar o Vovô;
  • Fernando Bezerra (Santa Cruz): Torcedor tricolor, presidiu entre 2008 e 2010 o Santa Cruz Futebol Clube, agremiação do Recife, sendo responsável pela reestruturação física do Estádio do Arruda, que estava interditado, e a conquista de novos patrocinadores para a agremiação. Como político, foi Deputado Estadual (1983 a 1986) e prefeito de Petrolina (1993 a 1996; 2001 a 2004; e 2005 a 2007);
  • Fernando Collor de Mello (CSA): Assumiu a presidência do CSA e contratou Luiz Felipe Scolari como treinador da equipe que se sagrou campeã estadual em 1982, naquela que foi a primeira experiência do gaúcho como técnico de futebol. Como político, Collor foi prefeito de Maceió e Deputado Federal por Alagoas, durante o Regime Militar. Em 1986, foi eleito governador do seu estado Natal e,em 1990, Presidente da República;
  • Laudo Natel (São Paulo): Foi diretor financeiro e presidente do São Paulo Futebol Clube, do qual é patrono graças a sua atuação na prospecção de recursos para viabilizar a construção do estádio do Morumbi e duas vezes governador de São Paulo. A primeira, entre 6 de junho de 1966 e 31 de janeiro de 1967, quando, como vice-governador, substituiu o então governador Ademar de Barros, cassado pelo governo militar brasileiro. segunda, entre 15 de março de 1971 e 15 de março de 1975, quando foi eleito de maneira indireta, pelo colégio eleitoral; e
  • Roberto Dinamite (Vasco): Presidente do Vasco desde 2008, Roberto Dinamite não repetiu como cartola o sucesso que teve como jogador. Entrou na política em 1992 elegendo-se vereador da cidade do Rio de Janeiro pelo PSDB. Em 1994 elegeu-se deputado estadual, cargo este onde se reelegeria em 1998, 2002, 2006 e 2010.