Veja como os volantes da F1 evoluíram com o passar dos anos

A McLaren publicou em seu site oficial uma imagem com os modelos de volantes que a equipe já utilizou desde os anos 1960, quando foi fundada pelo piloto Bruce McLaren.

LEIA MAIS
Não foi só Alonso. Relembre pilotos que se deram mal ao trocar de equipe na F1
O que as pessoas querem saber sobre os pilotos da Fórmula 1? O Google explica

É possível acompanhar cada mudança dos volantes, que deixaram de ser redondos e ganharam muitos equipamentos eletrônicos conforme a tecnologia foi invadindo a Fórmula 1.

O primeiro modelo da imagem, usado por Bruce McLaren em 1969, era muito simples. Apenas um volante redondo que guiava o carro. O segundo, de Emerson Fittipaldi em 1974, tinha como evolução uma chave de emergência para desligar a ignição.

Ainda redondo, o modelo de Ayrton Senna em 1988 já tinha maior preocupação com a ergonomia no contato das mãos dos pilotos com o volante. A novidade em relação aos anos 1970 era a presença de dois botões. O verde acionava o rádio, enquanto o vermelho, chamado de “Boost”, servia para que o piloto fizesse uma mistura de combustível para dar mais impulso ao carro em ultrapassagens.

Nos anos 1990, os volantes foram tomados completamente pelos botões e tiveram a forma modificada. O piloto poderia regular a mistura de combustível com mais eficiência, ganhou a possibilidade de limitar automaticamente a velocidade do carro nas passagens pelos boxes com o apertar de um botão, e vários outras funções também estavam ao seu alcance, como o controle de tração.

O modelo de 2008, usado pelo inglês Lewis Hamilton para conquistar o título mundial, foi um dos últimos que ainda não tinha as informações digitais acopladas. Esses dados eletrônicos ficavam fixos nos cockpits. A mudança veio em 2009 como maneira de diminuir o peso do carro com a chegada do novo regulamento.

O último volante da imagem é o usado nesta temporada por Jenson Button. A diferença é muito grande para todos os outros modelos, tanto no formato, que lembra um videogame portátil, como pela presença da tela de LCD com as informações que antes ficavam nos carros. Não é possível ver na imagem, mas a parte traseira ainda conta com o botão que ativa o DRS, a asa móvel usada nas ultrapassagens em pontos específicos de cada circuito da temporada.

E você, conseguiria pilotar e prestar atenção a tantos detalhes ao mesmo tempo?



Editor do Torcedores.com, está no site desde julho de 2014. Repórter e apresentador da TV Torcedores. Formado pela Universidade Metodista de São Paulo, já passou por UOL, Editora Abril e Rede Record. Participou da cobertura da Copa do Mundo de 2014, de dois Pans, dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e do Rio 2016.