5 coisas que não podem acontecer com uma equipe que não quer ser rebaixada

equipe
Getty Images

O futebol é momento. História não serve de nada quando o time entra em campo. O que realmente conta é a qualidade dos jogadores e o planejamento traçado para a temporada. Apesar de ser tão “simples”, poucas equipes conseguem desenvolver um projeto com maestria e como resultado sofre derrotas, eliminações e crises.

LEIA MAIS:
Os melhores  da Copa do Brasil 2014
Mercado da Bola: Veja as especulações para o seu time em 2015

Atualmente no futebol brasileiro, Criciúma, Bahia, Coritiba, Botafogo, Palmeiras e Vitória estão entre as piores equipes do Campeonato Brasileiro. A equipe catarinense inclusive já é a primeira matematicamente rebaixada para a série B. E alguns fatos em comum podem explicar porque esses grandes times estão nessa situação.

O Torcedores.com listou alguns erros que essas equipes cometeram em comum para ensinar o que não pode acontecer para que um time não brigue contra o rebaixamento; confira:

Contratações para “completar elenco”:

Em nenhum momento da temporada se pode contratar um jogador apenas para compor elenco. Time que quer vencer, que quer ser campeão precisa investir em grandes jogadores e se o problema for dinheiro, se deve pelo menos contratar as opções certas. Para isso não custa nada ver as últimas atuações, números e dados do jogado que pode ser contratado.

O Palmeiras e o Botafogo foram algumas das equipes que mais que mais contrataram nessa temporada. No inicio do ano o Alviverde focou em contratar jogadores sem contrato e com baixo custo beneficio. O Botafogo priorizou a contratação de “renegados” como Rodrigo Souto, Jorge Wagner, Emerson Sheik e Jobson são bos exemplos de como fazer contratações ruins.

Troca-troca de técnicos:

Entre as piores equipes do Brasileirão, apenas o Botafogo não trocou de técnico e isso porque Mancini “aceitou” a ideia de ser rebaixado (e ele nem tem culpa) e porque o clube não tem condições financeiras para demiti-lo e ainda contratar outro técnico.

Quando de elabora um planejamento para a temporada, o treinador é parte fundamental já que é ele que vai indicar nomes cpara reforços e pensar como eles serão utilizados. Mandar o profissional embora no meio do trabalho, obrigatoriamente faz com que o planejamento seja refeito e isso pode precisar de mais tempo do que o previsto.

Ou seja, nem sempre trocar o comandante significa melhorar o rendimento, prova disso é o Criciúma e o Bahia, as duas equipes que mais trocaram de comandante nesta temporada.

Crise política:

É inadmissível e ao mesmo tempo inevitável que os problemas políticos e extra-campo dos clubes interfiram diretamente no campo de futebol, principalmente por se cria um clima ruim entre diretoria e torcida, o que reflete nas arquibancadas.

Muitas vezes o silêncio e a omissão de dirigentes prejudicam o dia-a-dia dos jogadores que por vezes buscam respostas e soluções para os problemas.

Salários atrasados:

Problemas financeiros é uma questão que pode afetar qualquer clube e em qualquer momento. Mas coincidentemente Bahia, Coritiba e Vitória, equipes que estão brigando contra o rebaixamento, estão com mais de três meses de salários em aberto.

No Botafogo a situação é mais crítica, já que agora o clube tem um novo presidente que vai precisar de algum tempo para arrumar as finanças do clube.

Derrotas decisivas:

No Campeonato Brasileiro qualquer vitória é importante, logo toda derrota prejudica as equipes na busca de seus objetivos e uma derrota em um jogo chave pode ser mais prejudicial ainda. Exemplos? Palmeiras x Atlético-MG. O Alviverde estava com força máxima e jogando em casa mas não conseguiu conter os reservas do Galo. Menos três pontos que estão fazendo muita falta.

Para um time que precisa de resultados, vencer clássicos e pelo pelos os jogos diretos, é de suma importância para almejar voos mais altos nas competições.