Agora reeleito, relembre os maiores erros do mandato de Paulo Nobre

Paulo Nobre

Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, foi reeleito com folga por mais dois anos para comandar o clube. Descontentes com a atual gestão do mandatário, dezenas de torcedores protestaram durante todo o dia na frente da Academia de Futebol do clube. Após o resultado, uma das torcidas organizadas tentaram invadir o ginásio para agredir Nobre.

LEIA MAIS
Opinião: Vitória de Paulo Nobre é a derrota do futebol no Palmeiras

Derrotado, Wlademir Pescarmona saiu pela porta da frente e foi muito aplaudido pelos torcedores que ficaram aguardando o resultado. Já Paulo Nobre teve que sair pelos fundos do local e escoltado por seguranças do clube e pela polícia militar.

Tanta revolta com a reeleição do presidente tem motivo. Não um ou dois, mas sim vários. Por isso o Torcedores.com listou alguns dos maiores erros da gestão de Paulo Nobre; confira:

Negociação do atacante Barcos:

Nobre havia sido eleito presidente do Palmeiras no dia 19 de janeiro prometendo montar um time forte e competitivo para a disputa da Libertadores e da Série B do Campeonato Brasileiro. Mas no dia oito de fevereiro a notícia sobre a saída do atacante argentino Barcos para o Grêmio surpreendeu a torcida e até mesmo a imprensa.

Como resposta Nobre alegou que chegariam cinco jogadores do Tricolor Gaúcho como compensação. Vieram três por EMPRÉSTIMO, sendo que apenas Leandro foi titular durante a temporada. Vilson, que também se firmou no time titular, já não pertencia mais ao Grêmio. O Alviverde ainda “ganhou” 15% do passe do Marcelo Moreno, que foi para o Flamengo.

A torcida está esperando até hoje, quase dois anos depois, o tal do quinto jogador ou o dinheiro.

Venda do zagueiro Henrique:

Em 2014, ano do centenário do clube, Paulo Nobre começou a clocar em prática seu plano de “ganhar” dinheiro negociando os principais jogadores do elenco. Henrique, até emtão zagueiro de seleção brasileira, fi vendido para o Napoli por aproximadamente 4 milhões de euros.

Pouco para um jogador que era o capitão do time e que seria valorizado com um convocação para a Copa do Mundo.

Fracasso na renovação com Alan Kardec:

Depois da saída de Barcos, Alan Kardec foi contratado para substituir o argentino. Conseguiu. Caiu nas graças da torcida e foi artilheiro do Paulistão 2014. Mas após um longa novela e por causa de 5 mil reais o jogador deixou o Palmeiras e se transferiu para o São Paulo.

Paulo Nobre tenta até hoje jogar a culpa no atacante, mas todo mundo sabe quem é o dono da verdade nessa história.

Contrato de produtividade: FAIL:

Nobre tentou implantar o contrato de produtividade no clube, ou seja, o jogador teria uma sálio base baixo e poderia ganhar mais de acordo com a quantidade de jogos, gols e títulos. Com isso trouxe vários jogadores a baixo da média, como Diogo, França, Lúcio, Marquinhos Gabriel, Henrique, Victorino, Bruninho e por ai vai…

Apenas Lúcio e Henrique são titulares absolutos, mas também são muito contestados pela torcida.

Falta de patrocínio master:

Desde que a Kia deixou de patrocinar o Palmeiras, em abril de 2013, a camisa do Palmeiras nunca mais teve um patrocinador. Motivo? Nobre sempre quer mais do que estão oferecendo. Desta maneira ele só consegue afastar qualquer tipo de contato e parceria.

Dívida própria:

Paulo Nobre já “investiu” muito dinheiro no Palmeiras. Mas se engana quem acha que esse dinheiro serviu para o clube. Nobre já fez seu “pé de meia” ao emprestar milhões ao clube, que terá que devolver esse montante com uma mega porcentagem de juros futuramente.

Luta contra o rebaixamento:

Há quem diga que não é o presidente que entra em campo, e isso é verdade. Mas foi ele que contratou os jogadores que estão entrando em campo por ele. Quem aprova ou desaprova alguma contratação é ele. E o maior culpado pela atual situação do Palmeiras é ele, Paulo Nobre.

E ai, o que será do Palmeiras nos próximos dois ano?