Grêmio perde em Itaquera e agora precisa de um milagre para ir à Libertadores

Grêmio
Getty Images

Logo depois que o Grêmio perdeu para o Cruzeiro, durante a semana, nós, do Torcedores.com alertamos: se o tricolor vacilar, pode acabar o ano sem a vaga para a Libertadores.

LEIA MAIS
Artilheiros da saudade: 18 goleadores que as crianças de hoje nunca verão igual
Três clubes europeus estão na briga por Walace, revelação do Grêmio

Não que queremos ser chamados de profetas, mas essa derrota de 1 a 0 para o Corinthians, na Arena Itaquera, é um sinal claríssimo da tragédia que se aproxima.

Jogando mal e sem criatividade nenhuma, o Grêmio foi facilmente envolvido pelos donos da casa, que mesmo sem apresentar um futebol vistoso, foi o time que mais teve oportunidades de abrir o placar.

Aparentemente abatidos pela derrota da última quinta-feira (20), os jogadores gaúchos não conseguiam sequer trocar passes com qualidade, se tornando assim presas fáceis para a marcação corintiana.

Por mais que, no primeiro tempo, nenhum dos dois tenha feito o torcedor encher os olhos, o Corinthians parecia mais decidido a sair de campo com os três pontos. De tanto insistir e, principalmente, por não desistir da possibilidade de vencer em nenhum momento, acabou premiado.

Aos 37 do segundo tempo, depois de receber lançamento de Luciano, Guerrero dominou, girou e chutou fraco. Marcelo Grohe e Rhodolfo, na ânsia de afastar a bola, se enrolaram no chão e a redonda entrou de mansinho na rede do Imortal.

Se até aquele momento, o Grêmio quase não demonstrava força para impor seu jogo, fazer seus gols e voltar para a briga como um gigante que és, depois do gol, a casa desabou de vez.

Mesmo com o segundo tempo indo até os 52 minutos, por causa de uma paralisação mais prolongada, devido à existência de sinalizadores na torcida corintiana, os comandados de Felipão não superaram os problemas e sucumbiram no caldeirão alvinegro.

Agora a missão se tornou quase impossível. O Grêmio precisa ganhar seus dois jogos e torcer contra Corinthians e Inter. Na verdade, depois de tanta decepção, melhor ficar quieto para evitar a fadiga. “Torcer”, em 2014, foi muito difícil para o tricolor apaixonado.



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...