Conheça os principais jogadores que tiveram suas camisas aposentadas

Reprodução

Dentre todas, a maior homenagem que um jogador de futebol pode receber é ter sua camisa aposentada pelo clube que mais representou sua carreira. Jogos festivos, tarja de capitão e convocações para seleção são homenagens conhecidas e frequentemente adotadas para felicitar algum jogador em fim de carreira.

LEIA MAIS
Genéricos? Conheça atletas que usam nomes de outros jogadores

Muitos ainda dizem que as considerações são muitas e exageradas, pois nem todos seriam verdadeiros merecedores de tanta festa. Mas existem alguns que definitivamente marcaram a história do esporte e foram além tendo suas camisas aposentadas. Apesar de a prática ter se popularizado e mais jogadores do que se imagina levarem suas camisas ao pendurar as chuteiras, ainda sim existem alguns atletas que qualquer homenagem é pouca, para tamanho sucesso.

Confira alguns casos famosos de camisas aposentadas:

Pelé

Depois de se aposentar, Santos e Seleção Brasileira decidiram retirar a camisa 10, mas por determinação da CONMEBOL, que exige numeração fixa em suas competições, a camisa continua a ser utilizada. Coube ao NY Cosmos aposentar a camisa do Rei.

Maradona

Igual a Pelé, a Seleção Argentina também decidiu pela aposentadoria da camisa 10, mas a CONMEBOL não permitiu a ação. O Napoli porém, aposentou a camisa e mesmo com campanha do próprio Maradona e parte da torcida para que Lavezzi a usasse, ela permanece guardada pelo clube.

Yohan Cruyff

O Ajax aposentou a camisa 14, usada por Cruyff por nada mais que 14 anos em 2007, no dia do 60º aniversário do craque. Apesar de rir da situação e devolver a camisa para o clube, o número nunca mais foi usado.

Paolo Maldini

Talvez a história mais simbólica de todas as camisas no mundo do futebol. Antes utilizada por seu pai, Cesare Maldini, a camisa 3 foi aposentada junto de Paolo em 2009. Ela só poderá ser reutilizada caso seu filho Christian, que atua na base do Milan, chegue ao profissional.

Roberto Baggio

Mais por reconhecimento do que por contribuição. O pequeno Brescia da Itália aposentou a camisa 10 usada por Baggio no final da sua carreira entre 2000 e 2004.

Cobi Jones

Com rápida passagem pelo Vasco da Gama, o norte-americano é ídolo nacional e do LA Galaxy, onde encerrou a carreira em 2007 e teve a camisa 13 aposentada em sua homenagem. É também o jogador que mais vezes atuou pela seleção com 164 jogos.

Franco Baresi

Considerado o melhor zagueiro da história do futebol italiano. Campeão pela Itália em 1982 e 18 vezes pelo Milan, único clube pelo qual atuou. Ao se aposentar em 1997, sua camisa 6 nunca mais foi usada.

Fernandão

Após o trágico acidente de helicóptero que matou Fernandão em junho desse ano, o Internacional decidiu aposentar a camisa 9 em homenagem ao atacante. Fernandão foi campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes em 2006.

Gianfranco Zola

Considerado por muitos o melhor jogador da história do Chelsea, clube que defendeu entre 1996 e 2003, teve a camisa 25 aposentada em sua homenagem.

Antonio Puerta

Vítima de uma parada cardíaca em agosto de 2007, durante uma partida contra o Getafe pelo campeonato espanhol, o Sevilla decidiu aposentar a camisa 16 em memória. Assim como Maldini, a camisa poderá ser usada novamente caso seu filho chegue à equipe profissional.

Marc-Vivién Foé

O jogador que mais teve camisas aposentadas em sua homenagem. Disputou a Copa do Mundo de 1994 por Camarões fazendo parte da histórica equipe de seu país. O Manchester City, retirou a camisa 23 dos gramados e o Lyon, a 17. Makoun, também camaronês, teve permissão de utilizar a camisa em 2008 quando chegou ao time francês. A Seleção Camaronesa também não utiliza mais a camisa 17 usada por Foé. Vítima de uma parada cardíaca, morreu em campo durante a Copa das Confederações de 2003 contra a Colômbia.

Robert Enke

Em depressão profunda, o goleiro da seleção alemã parou o carro sobre a linha do trem e cometeu suicídio em 2009. Seu clube, o Hannover 96, aposentou a camisa 1 em sua homenagem. Hoje, o também goleiro da seleção e tetra campeão Zieler, passou a utilizar a camisa de Enke.

Lukas Podolski

O único jogador em atividade que teve sua camisa aposentada. O presidente do Köln (ou simplesmente Colônia, em português) disse que enquanto Podolski estiver jogando profissionalmente, a camisa 10 só poderá ser usada por ele mesmo.

Marcos

Ídolo pela Seleção Brasileira, conquistando o Penta em 2002, e do Palmeiras, único clube que defendeu na carreira, o goleiro teve a camisa 12 eternizada pela diretoria alviverde. Marcos disputou 532 jogos e conquistou a Libertadores de 1999.

Cuauhtémoc Blanco

Um dos maiores nomes do futebol mexicano e ainda em atividade. Depois de passar pelo América em 2007, a camisa 10 seria aposentada por 5 anos em homenagem a Blanco. No mesmo ano, porém, o clube participou da Copa Sudamericana e foi obrigado a utilizar a camisa por exigência da CONMEBOL.

Romário

O Baixinho teve a camisa 11 eternizada por Vasco da Gama e América RJ. Quando Roberto Dinamite assumiu a presidência do Vasco, ele e Romário colocaram a camisa de volta aos gramados.

Aldair

A camisa 6 da Roma foi aposentada em homenagem ao zagueiro tetra campeão em 1994 com a Seleção Brasileira. Quando o holandês Strootman foi contratado no ano passado ele pediu para usar o número e Aldair permitiu que o meia utilizasse a camisa.

Javier Zanetti

Recém aposentado dos gramados, o ídolo da Inter de Milão eternizou a camisa 4. Zanetti é o símbolo de uma era vitoriosa do clube conquistando UEFA Champions League, o Mundial de Clubes e 5 campeonatos italianos.

Francesco Totti

Ainda em atividade com 37 anos mas jogando como um garoto de 22. O presidente da Roma já anunciou que a camisa 10 será aposentada quando Totti encerrar a carreira.



Jornalista Esportivo formado pelo Mackenzie e pela UCLA com passagem pela Rádio Bandeirantes, fundador do perfil Arquivo do Futebol (@futebolarquivo) e jornalista do MLS Brasil. Escreve para o Torcedores.com desde 2014. Twitter: @paulogcanova