9 provas de que jogadores de hoje vivem na “mordomia”

jogadores

É impossível comparar o futebol brasileiro atual com o de antigamente. Quem já pôde acompanhar jogos do passado, com certeza percebeu que há muita coisa diferente que dificultava, de certa forma, os jogadores. Porém mesmo com tamanhas adversidades, se formavam artilheiros natos. Analisando os jogadores do passado podemos dizer que os atuais vivem em uma “mordomia”.

LEIA MAIS
Artilheiros da saudade: 18 goleadores que as crianças de hoje nunca verão igual

O curioso é que tudo era mais difícil, mas mesmo assim existiam grandes goleadores, onde muitos reinam até hoje como maiores artilheiros de alguns clubes. Com a evolução do futebol atualmente essa situação teria melhorar, certo?! Depende. Poucos são os jogadores que realmente fazem a diferença nos times do Brasil.

Pensando em algumas dificuldades que os jogadores de antigamente tinham, nós do Torcedores.com decidimos listar algumas coisas que fazem do futebol moderno, uma mordomia para os atletas.

A BOLA:

Bola

A bola usada no passado era de couro e com costura. Normalmente já era pesada e se chovesse ela absorvia a água e pesava o dobro do que era comum. Em vez de quilos, atualmente a redonda pesa em gramas.

UNIFORMES:

Camisas

 

Com tecidos mais grossos, os jogadores tinham que se esforçar um pouco mais. Nesse quesito, a chuva também era um problema. Hoje em dia, o tecido utilizado pelos clubes são extremamente finos, onde “eliminam” qualquer tipo de dificuldade caso molhe o uniforme.

CHUTEIRA: 

chuteiraantiga

 

Praticamente os jogadores antigos usavam as chuteiras mais para combater machucados, pois não possuíam nenhum conforto. E não tão menos diferente da bola e do uniforme, a chuva era um empecilho, porque quando chovia, juntava todos os elementos e a dificuldade era maior para os atletas. Atualmente, as chuteiras lançadas estão cada vez mais tecnológicas e leves.

GRAMADOS: 

 

gramado

 

O gramado em bom estado, facilita a vida dos jogadores atuais. Grande parte dos campos possui drenagem, pois se chover o gramado não encharca. Diferente do passado. Além de enfrentar gramados irregulares, os atletas usavam muito a força, sendo que a chuva também se encaixaria neste quesito.

ESTÁDIOS “VAZIOS”: 

ESTÁDIO VAZIO

 

Acha que 45,50, 60 mil pessoas no estádio é pressão? Imagina jogar com mais de 100 mil pessoas. Era uma prática comum antigamente. A média do Brasileirão atual chega ser de pouco mais de 16 mil por jogo.

VIAGEM DE ÔNIBUS:

times precisam onibus

Diferente de hoje, muitos clubes utilizavam o ônibus, como meio de transporte para ir a outros estados.

ESTRUTURA PARA TREINO:

Estrutura treino

 

Hoje em dia, muitos clubes têm uma boa estrutura para seus jogadores treinarem da melhor maneira possível e até mesmo para atrair bons atletas. Os jogadores antigos não possuíam nem metade das estruturas de hoje.

EVOLUÇÃO DA MEDICINA:

 

Evolução Médica

Quando algum atleta se machucava gravemente, ficava mais de um ano para se recuperar, totalmente. Hoje, os jogadores pegaram uma boa época já que a grande evolução da medicina contribui para que o atleta não fique tanto tempo fora dos gramados.

SALÁRIOS:

Salário

 

Com certeza essa é uma parte legal para os jogadores atuais. Exemplificado, Sócrates no Corinthians era um dos melhores jogadores do país nos anos 80. Ele recebia Cr$1 milhão na época, o que convertidos para o real daria R$ 115 mil. Zico no Flamengo recebia cerca de Cr$ 450 mil, o que hoje valeria como R$ 60 mil. Dois dos melhores jogadores do país, não recebiam nem metade dos considerados melhores atualmente.

VISIBILIDADE EUROPEIA:

Visibilidade europeia

 

Mesmo tendo alguns jogadores que foram jogar no exterior no passado, não tem comparação com os dias atuais. Hoje, jogadores já nas categorias de base têm contatos com alguns dos principais clubes do mundo.

 



Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.