Manchester City vence o clássico contra o United com grande atuação de Touré

O clássico de Manchester podia ser nomeado de o clássico da recuperação, pois as duas equipes acumulavam resultados negativos nas últimas partidas.

LEIA MAIS
Pé frio? Barcelona perde a segunda seguida após a estreia de Suárez
Assista: James Rodriguez faz gol incrível na vitória do Real Madrid

O Manchester City vinha de derrota por 2 a 1 para o West Ham, resultado que o distanciou do líder Chelsea, além de um empate contra o CSKA Moscou na UEFA Champions League e de uma derrota para o Newcastle, pela Copa da Liga Inglesa. O Manchester United, por sua vez, vinha de dois empates pela Premier League, sendo um contra o West Ham e outro contra o Chelsea, que acabou por estagnar o crescimento dos Red Devils na Premier League.

Além do fator recuperação, o clássico de Manchester era muito importante para a pretensão de ambos os times no campeonato. Se o Manchester City vencesse, voltaria a se aproximar do Chelsea na briga pelo título. Caso a vitória ficasse com o United, representaria a retomada de uma gradual recuperação dos Red Devils no Campeonato Inglês e a consequente aproximação da zona de classificação à UEFA Champions League.

Portanto, o clássico era imperdível tanto pela rivalidade das duas equipes quanto pela necessidade de ambos os times se recuperarem no campeonato, com o objetivo de manterem vivas suas pretensões na Premier League.

Diante de tantos atrativos, a partida começou extremamente movimentada, com as duas equipes buscando o jogo. Com um jogo tão equilibrado, a primeira chance de gol surgiu apenas aos 7 minutos. Aguero, após receber passe de Milner, finalizou para a defesa de De Gea. O United deu a resposta aos 9, com Januzaj, porém o chute do belga passou ao lado da trave esquerda do gol defendido por Hart.

Depois da primeira chance real de gol, o jogo ficou muito travado no meio de campo, até que o Manchester City, novamente com Aguero, aos 19 minutos, aproveitando belo lançamento, finalizou para nova defesa de De Gea. O City, com a chance criada, empolgou-se e, aos 20 minutos, Navas recebeu passe de Aguero dentro da área, porém o chute do espanhol foi defendido por De Gea. Aos 21 minutos, De Gea impediu o City de inaugurar o placar ao defender chute de Aguero. O goleiro espanhol, até o momento, era o destaque da partida.

A metade do primeiro tempo apresentava um Manchester City melhor na partida, por ser mais objetivo e incisivo na busca pelo gol. O Manchester United, por outro lado, tinha muita dificuldade na articulação das jogadas ofensivas, pois o seu meio de campo não conseguia fazer a transição da defesa para o ataque.

Para piorar a situação dos Red Devils, o zagueiro Smalling, aos 38 minutos, cometeu falta em Milner, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. A expulsão retratava o maior volume de jogo do Manchester City, que acuava o seu rival no campo de defesa.

O primeiro tempo, apesar de dominado pelo Manchester City, terminou empatado em razão da atuação de De Gea. O goleiro do United fez pelo menos três belas defesas e segurou o 0 a 0 no placar. Louis van Gaal teria muito trabalho no intervalo para ajustar a lentidão de seu meio de campo incapaz de levar a bola da defesa ao ataque.

A segunda etapa começou como terminou a primeira, ou seja, com o Manchester City indo pra cima do Manchester United, que se limitava a se defender de todas as formas possíveis. Aos 17 minutos, a superioridade numérica, o volume e a pressão se converteram em gol. Yaya Touré deu passe milimétrico para Clichy, que cruzou com perfeição para Aguero, o artilheiro da Premier League, abrir o placar. 1 a 0 City!

Mesmo depois do gol o City não tirou o pé e, aos 22 minutos, Jovetic acertou chute de fora da área, que foi muito bem defendido por De Gea.

O Manchester United, aos 25 minutos, respondeu com Van Persie, que, após boa jogada individual na linha de fundo, chutou para a boa defesa de Joe Hart.  Aos 29 minutos Yaya Touré, o comandante do meio campo do City e o melhor jogador da partida, acertou passe sensacional para Navas, que entrou na área e chutou a bola na trave.

Aos 31 minutos, o United quase chegou ao empate. Rooney arrancou com a bola e, na entrada da área, passou para Van Persie, que, depois de ter o chute bloqueado pela defesa do City, ainda conseguiu dar um passe para Di María. O argentino entrou pela diagonal, porém a finalização foi defendida por Joe Hart.

A partir dos 35 minutos, o Manchester United, aproveitando que o City passou a se defender em seu campo, iniciou uma pressão na tentativa de buscar a igualdade no marcador, porém sem resultado. Fim de jogo. Vitória merecida do Manchester City em cima do seu maior rival.

O resultado da partida retrata os momentos distintos vividos pelas duas equipes. O Manchester City, atual campeão, mostrou ser uma equipe organizada, na qual todos os jogadores sabem o que fazer dentro de campo. O Manchester United, por outro lado, ainda é um time em formação, em estágio de reconstrução, tendo apresentado diversos problemas na criação das jogadas ofensivas durante toda partida.

Com a vitória, o Manchester City mantém sua perseguição ao Chelsea, líder absoluto da Premier League e, de quebra, conquistou sua quarta vitória consecutiva em cima do Manchester United, o que não acontecia desde 1970.

Foto: Getty Images



Suposto entendido, analista e comentarista. Porém, simplesmente apaixonado pelo esporte mais popular e fascinante do planeta: o futebol!