Opinião: Grêmio fraqueja na “Hora H” e praticamente dá adeus à Libertadores

Cartola FC

Num intervalo de uma semana, o Grêmio foi do céu ao inferno. A equipe que vinha de uma sequência de seis jogos sem perder, estando entre os quatro primeiros colocados na tabela do Campeonato Brasileiro, conheceu duas derrotas seguidas entre quinta-feira e no domingo passado.

LEIA MAIS
Artilheiros da saudade: 18 goleadores que as crianças de hoje nunca verão igual
Três clubes europeus estão na briga por Walace, revelação do Grêmio

A primeira delas para o líder Cruzeiro, no meio de semana, em Porto Alegre. O segundo revés ocorreu nesse domingo, na casa do Corinthians, concorrente direto à vaga na Copa Libertadores-2015. Bem na reta final do campeonato, o Tricolor fraquejou.

Faltam apenas duas rodadas para o fim da disputa e a equipe não depende apenas de suas próprias forças para jogar a competição mais cobiçada das Américas em 2015. Hoje, o Grêmio ocupa a sexta colocação, com 60 pontos ganhos, três atrás do arquirrival Internacional, quarto colocado.

Contra o Cruzeiro (campeão no último domingo), o time de Luiz Felipe Scolari teve boa atuação em boa parte do jogo, porém, desperdiçou várias chances de gols, sobretudo no primeiro tempo, e sofreu a virada. Contra o Corinthians, terceiro colocado, vi um Grêmio extremamente cauteloso. Foi dominado nos primeiros 45 minutos de jogo. Só não saiu atrás do placar graças ao goleiro Marcelo Grohe e a má pontaria dos adversários.

Na volta do intervalo, Felipão sacou o volante Riveros e botou em campo o meia Giuliano. Os visitantes, enfim, tentaram surpreender a defesa rival com marcação mais avançada. O goleiro alvinegro Cássio trabalhou bem em finalizações de Giuliano e Ramiro. No entanto, a partir dos 20 minutos, o Corinthians reassumiu o controle das ações ofensivas.

O gol era questão de tempo. O zagueiro Felipe cabeceou na trave. Pouco tempo depois, o artilheiro Guerrero anotou o gol da justa vitória corintiana. Um castigo para um time que pouco atacou o adversário. Nem com as entradas do meia Alan Ruíz e do atacante Lucas Coelho, o Tricolor conseguiu reagir.

Para avançar à Copa Libertadores, o Grêmio depende de duas vitórias contra Bahia (fora de casa) e Flamengo (em casa), além de torcer para que o arquirrival Inter some no máximo um ponto nos jogos contra Palmeiras e Figueirense. Algo improvável.

Rápido pitaco:

Lamentáveis as declarações de Felipão no pós-jogo. O treinador disse que o Grêmio foi extremamente prejudicado pela arbitragem de Ricardo Marques Ribeiro. Reclamou de um possível pênalti cometido pelo corintiano Fábio Santos e do gol alvinegro, que segundo ele foi originado a partir de uma inversão de lateral.

Conferi o replay e não constatei as irregularidades. Para piorar, o ex-treinador da Seleção Brasileira detonou a CBF, com quem teve vínculo até julho passado. Insinuou que a entidade é contra o Grêmio, por não querer ver dois clubes gaúchos disputando a Libertadores em 2015. O Imortal perdeu para o Corinthians porque atuou mal. Pronto! Não houve interferência direta da arbitragem no resultado. O choro é injustificável.



Rafael Alaby é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado), com passagens pela Chefia de Reportagem de Esportes, da TV Bandeirantes, em São Paulo e site KiGOL. Pós-graduado em Jornalismo Esportivo e Negócios do Esporte (FMU)