Relembre as acusações mais bizarras julgadas pelo STJD em 2014

STJD
Reprodução

O futebol no ano de 2014 por alguns clubes e jogadores, não foi o melhor apresentado. Uns pagaram “micos” deixando de se classificar em certos torneios. Por parte dos atletas, muitos torcedores esperaram que alguns deles apresentassem um futebol de alto nível, mas nem todos desencantaram. Para piorar, o STJD contribuiu para a temporada fosse não tão boa assim com seus julgamentos bizarros.

LEIA MAIS
Valdivia visita Santa Casa, faz alegria dos pacientes e cumpre punição do STJD
Corinthians ironiza STJD por gols de Guerrero em clássicos
Opinião: O torcedor faz papel de otário. Culpa da STJD, CBF (e dos clubes)

Sendo um dos anos em que mais estiveram presentes no cenário nacional, o STJD foi um dos destaques no Campeonato Brasileiro onde a cada rodada eles estavam ligados a cada lance perigoso ou não. Tendo em vista alguns casos bizarros, iremos relembrar alguns dos julgamentos que não precisavam acontecer no ano de 2014.

Acompanhe: 

– ALISON

Para começar, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva julgou o volante Alison, do Santos, por uma expulsão comum de jogo. Na oportunidade, ele deu uma entrada por trás e foi expulso por Raphael Claus, porém o STJD achou que seria justo levar o atleta para o tribunal. O jogador não foi punido, mas também não precisava ser julgado. Relembre a entrada: 

 

– LEANDRO DAMIÃO

Leandro Damião tentou simular um puxão de camisa na partida contra o Criciúma, onde na ocasião o atacante segurou sua própria camisa. O atleta foi julgado e inocentado pelo STJD pelo lance em questão.

Reprodução
Reprodução

 

– GUERRERO

Outro caso que o STJD julgou foi a trombada de Paolo Guerrero. O corintiano, na partida contra o Bragantino, trombou com o árbitro Leandro Bizzio Marinho e o STJD mais uma vez resolveu aparecer para colocar o jogador no Tribunal. O jogador inicialmente foi inocentado, porém em novo julgamento ele pegou um gancho de três jogos.

guerrero

 

– EMERSON SHEIK

O polêmico atacante Emerson Sheik tambèm esteve no Tribunal com sede no Rio de Janeiro. O caso foi que o jogador foi enquadrado em dois artigos, sendo que um foi bizarro. O primeiro foi pela entrada violenta com um carrinho, o outro foi por ter dito na câmera de TV a palavra “vergonha”. Pelo primeiro ato ele foi punido, pelo segundo absolvido.

Emerson Sheik
Getty Images

 

– FERNANDO PRASS

O último e talvez o pior de todos foi o caso do goleiro Fernando Prass, onde o arqueiro afirmou que já havia recebido mala branca. Sem saber quando e onde, já que ele jogou fora do Brasil, o STJD decidiu levar o jogador do Palmeiras para o Tribunal. Ele foi julgado e sem provas o atleta foi absolvido.

Palmeiras
Getty Images


Jornalista. Como todo torcedor também gosto de dar meus pitacos. Fã da seleção italiana, do Milan e do Arsenal.