Opinião: Como será o Corinthians para 2015?

Guerrero
Guerrero entrou para história do Timão

Ando por aí lendo algumas – poucas – novidades sobre o Corinthians e suas possíveis mudanças para o ano de 2015. Não são muitas, aliás, até são, mas a maioria dos nomes citados nós já vimos fazer história e já fizeram a lição de casa dentro do Parque São Jorge.

LEIA MAIS
Mercado da bola: Segundo agente, Óscar Romero está acertado com o Corinthians
Jogadores elegem torcida do Corinthians a melhor do Brasil; Botafogo e Grêmio são as piores

Entre as possíveis, a primeira e única novidade é que estamos tentando trazer para o Corinthians o camisa 10, Conca, que até então defendia o Fluminense. Em contrapartida “daremos” Jadson ao Flamengo. O ex-são paulino chegou bem, se entrosou e a principio a troca Jadson/Alexandre Pato parecia ser um bom negócio, mas de repente, seu rendimento caiu e ele virou reserva. A grande maioria prefere afirmar que Jadson foi mais um dos jogadores ‘queimados’ por Mano Menezes.

Ah, Mano Menezes! Outra grande lição que nos foi repassada durante 2014: não adianta esbravejar, querer quebrar tudo, dar show: um técnico nunca, eu disse NUNCA será dispensado do clube faltando apenas algumas rodadas para o último campeonato em andamento acabar. Nem mesmo um vexame na Copa do Brasil faria com que isso acontecesse.

Falar em Mano Menezes, me lembra o retorno do Tite. E isso me dá um certo receio. Gosto e acredito no trabalho do Tite, mas retornar tão rápido assim? Também gostava e acreditava no trabalho de Mano Menezes. Talvez não seria a hora de tentar algo novo, Sport Club Corinthians Paulista?

Claro que grandes nomes serão sempre bem vindos, mas às vezes – ou quase sempre – tenho a impressão de que a diretoria busca pelo time de 2012. Ah, 2012! E quem não queria viver e reviver todas aquelas partidas históricas? Todo mundo! Mas será que para novos anos de glórias e títulos e mais títulos cheguem por aí, não seria interessante tentar pelo novo? Pelo desconhecido. Não sei… Mas na verdade, as duas opções poderiam ser consideradas um tiro no pé.

Mas diante de todas as buscas pelos nomes que a torcida ainda se lembra e que com certeza sente saudades, Paulinho não vem. No momento, é muito dinheiro em jogo e a justificativa do Corinthians é: “ainda não é a hora dele voltar”. Emerson Sheik ainda é uma especulação, mas o jogador anda feliz da vida e prometendo novos títulos. Que assim seja, porque a saída dele não foi nada agradável e acredito que para nenhum dos três lados: jogador, diretoria e torcida.

Mas se tem uma boa notícia que não vi em muitos lugares é aquela que diz que a renovação do Fiel Torcedor este ano está mais barata. Ano passado a Arena Corinthians era novidade e nós pagamos mais caro para poder garantir a tentativa de comprar ingressos. Estes com preços que foram abusivos. Uma mudança drástica no orçamento do torcedor alvinegro. A renovação já está mais barata, basta esperar para saber se os valores dos jogos também serão dignos de uma torcida que sempre lota estádio. Seja ele qual for.



Jornalista por formação. Amante do futebol. Corintiana, roxa, sofredora - graças à Deus. Esporte é alegria, é companheirismo, é a tarde do domingo, a luta do sábado à noite, é a rodada no meio da semana, acordar cedo pra ver corrida. É zombar com os amigos e ser o alvo na semana seguinte. Esporte é vida! É tudo isso e muito mais!