Os acertos de Abel Braga no comando do Inter em 2014

Semana passada, escrevemos sobre os principais erros de Abel Braga no comando do Inter nesta temporada de 2014. Agora, chegou a hora de sermos justos e apontarmos os principais acertos do comandante do Colorado.

LEIA MAIS:
Os erros de Abel Braga no comando do Inter em 2014
De vilões a heróis: o dilema que o Inter enfrentou em 2014

Sei que pode soar cauteloso demais escrever isso só agora, depois de o Inter ter garantido sua vaga da Libertadores. Vou te dizer uma coisa: de fato é! Mas, não teria como ser diferente, afinal, Abel Braga fez tanto esforço para tirar o Colorado da fila de títulos do Brasileirão e no final, perdeu como todos os outros que passaram pelo mesmo posto desde 1979.

No entanto, deixemos de lado esse papo crítico e vamos ao que interessa. Os acertos de Abel Braga no comando do Inter em 2014 foram:

1 – A lealdade que teve com seus comandados

Isso pode parecer bobo à primeira vista, mas quando se trabalha com um grupo de 20, 30 jogadores, todos eles buscando seu lugar ao sol, ao mesmo tempo em que “precisam” prestar contas à uma torcida apaixonada e impaciente, tendo a imprensa como sombra, pronta para relatar qualquer deslize que aconteça, entende-se melhor o lado de um técnico de futebol.

Abel Braga, desde o primeiro momento, defendeu com unhas e dentes seus comandados. Mesmo aqueles que praticamente imploraram para serem detonados em público, casos de Rafael Moura, que ficou uma dezena de jogos sem fazer a única coisa que sabe, que são os gols, e Fabrício, que conseguiu ser mais indisciplinado que pré-adolescente rebelde e deixou o Inter com um a menos em diversos momentos.

2 – O encaixe de Aránguiz no esquema

O chileno Aránguiz acabou caindo de rendimento no último quarto da temporada, mas enquanto esteve bem, ajudou demais o Inter na sua caminhada. O jogador, com características até mais defensivas do que o contrário, assimilou bem o que Abel Braga queria dele em campo e ajudou o Inter em diversas ocasiões especiais, sendo o elemento-surpresa.

Destaque para os dois gols que marcou no Gre-Nal do primeiro turno.

3 – Ter suportado a pressão devido aos maus resultados por tanto tempo

Logo que o Inter foi eliminado na Copa do Brasil para o Ceará, já pairou sobre Abel Braga uma nuvem negra das feias. Quando acabou perdendo para o Bahia, na Copa Sul-Americana, semanas depois, os mais horripilantes raios caíram ao redor do técnico. Porém, nenhum o atingiu.

Mais do que ter escapado ileso da tempestade que assolou o ambiente Colorado entre agosto e setembro, o técnico conseguiu não explodir completamente com toda a pressão e aguentou, mesmo com uma bufada aqui e acolá, as cobranças que lhe eram feitas. Mais uma demonstração de lealdade aos seus atletas e mais um ponto positivo (e valioso) na conta de Abelão.

Foto: Friedmann Vogel  ⁄ Getty Images



Tudo o que preciso é um papel e uma caneta. Apaixonado por esportes desde 1900 e bolinha: de futebol, basquete, tênis, rugby...